A grandiosidade de Skyrim

Buenas, buenas!

Quase todo mundo já viu, jogou ou falou de Skyrim por aí, então eu achei que fosse momento de eu falar também. De qualquer forma, vou pelo menos tentar falar algo diferente, ou de uma forma diferente, pois acho que a maioria já está até se cansando de tanto conteúdo sobre esse jogo.

Elder Scrolls V é um grande sucesso: Prêmios importantes de jogo do ano, estúdio do ano para seus produtores, boas vendas e por aí vai. Mas por que tanto sucesso? Esse RPG é mesmo tudo isso que dizem?

É difícil falar qualquer coisa negativa sobre um jogo desses sem atrair a ira mortal de fãs apaixonados, por isso antes de iniciar esse debate preciso afirmar que tenho o jogo (versão PS3) e que jogo bastante, (lá se vão aproximadamente 50 horas de jogo) e que gosto de jogá-lo.

O que impressiona, logo que você inicia com seu personagem no mundo de Skyrim é o tamanho do seu mapa, que  é simplesmente imenso! Atravessá-lo a pé demora bastante, isso sem contar os eventuais desafios que podem aparecer pelo caminho, como ursos, tigres, dragões e sobretudo os temíveis gigantes. Conforme você anda o tempo vai passando e o dia logo se torna noite e vice versa. Diga-se de passagem, eu detesto viajar a noite, pois em alguns momentos eu não enxergo nada, mesmo em minha TV 37′.

Um detalhe que talvez seja pequeno, mas que merece ser comentado, trata das mudanças do personagem. Qualquer item que você equipa altera sua aparência. Se você veste uma armadura, bota ou anel isso será alterado e de forma bem caprichada. O número de missões também é bem grande e acima de tudo variado, indo desde matar dragões a investigar lendas perdidas no tempo, dependendo das escolhas e caminhos que percorrer.

Mas então o jogo é simplesmente maravilhoso? É e não é. Não, eu não vou ficar aqui dando uma de “morde assopra”, vou explicar isso melhor. Jogar Skyrim é realmente divertido. A cada dungeon nova que você descobre ou cada missão nova que recebe faz com que fique difícil parar de jogar. Cada vez mais tem-se a vontade de aprofundar, conhecer e investigar tudo que vai surgindo e quando menos se percebe o jogador já está a horas na frente da tela.

Porém, o jogo tem bugs impressionantes e não falo apenas de problemas na programação do jogo. Nem vou entrar no mérito de dragões voando de costas, personagens que desaparecem, inimigos poderosíssimos que ficam “presos” atrás de uma pedra e são facilmente abatidos por qualquer personagem de nível 5, baús invisíveis, entre vários outros. Particularmente, o que mais me irrita é o que deixa o personagem invisível, mas ele fica assim apenas para o jogador, pois os inimigos continuam enxergando-o e não perdoam quando ocorre aproximação.

Onde foi parar o corpo desse ser?

Esses defeitos horrorosos dão a impressão de que o jogo foi lançado incompleto, pois acontecem o tempo todo. Sei que a versão de ps3 é a pior de todas, mas isso não justifica nada. Tenho certeza mais do que absoluta de que qualquer teste realizado antes do lançamento do game detectou esses bugs e muitos outros. Pode parecer que isso é implicância, mas não é. As vezes você está compenetrado, envolvido com a missão e atento a tudo que pode acontecer, quando de repente seu personagem desaparece. Isso quebra bastante o clima de tensão envolvido e faz com que a imersão seja quase que perdida. Imagine só, você está caminhando pelo mapa, quando da de frente com um dragão. A música muda, você se prepara para a batalha e quando olha novamente ve o Dragão fazendo uma “curva” num ângulo impossível. Desagradável.

Mas os problemas não ficam somente nos bugs. Vamos pegar o exemplo da Skill Smithing. Para que ela possa ser evoluída é necessário construir armar ou armaduras, dentre os vários materiais possíveis presentes no jogo (e são muitos!). Quanto mais itens você constrói, mais você evolui, podendo até mesmo produzir um set completo feito de ossos e escamas de dragão. Porém, não faz diferença de qual item você constrói, a evolução é a mesma, ou seja, se você fica criando adagas, que são as mais baratas e fáceis de fazer, ou se você cria uma armadura elfica, o resultado na evolução é o mesmo. Desse forma, qualquer personagem de nível baixo pode desenvolver ao máximo a skill smithing, apenas criando inúteis adagas.

Isso também vale para outras skills, como lockpicking e sneaking, por exemplo. Mas o que eu gostaria de salientar é que esses não são apenas bugs, mas sim escolhas dos programadores. Não é por acaso que esse tipo coisa seja possível dentro do jogo e olha que nem citei muitos exemplos.

Volto então à pergunta que fiz: Skyrim é tão grandioso quanto dizem? Eu acredito que sim, pois a idéia é boa, porém em muitos momentos parece que houve pressa no lançamento e até mesmo desrespeito por parte da Bethesda em relação a seus jogadores.

Jogue e se divirta, mas não feche os olhos para os absurdos que aparecem no jogo, pois só assim teremos games melhores com o passar do tempo. Chega desse papo de fan-boy que endeusa um jogo como se esse fosse perfeito e livre de problemas.

Anúncios

5 comentários sobre “A grandiosidade de Skyrim

  1. Lucas Rosa

    Cara…concordo bastante! Me parece que todos estes problemas se remetem ao prazo de lançamento do jogo (a Bethesda queria lançar durante um período quente de marketing e vendas: final de ano). Tanto é, que recentemente foi lançado uma atualização gratuita que dá um reparo nos bugs e melhora a já incrível qualidade gráfica de Skyrim! Interessante não? Apenas dois meses após o lançamento do game!
    Ao que tudo indica, mais e mais DLC’s gratuitos e pagos devem ser liberados. As notícias recentes apontam para combate montado e novas montarias, uso de lanças e novas missões paralelas….
    Enfim, Skyrim é um jogo para ficar na lista de melhores jogos de muita, mas muita gente……porém, é sempre bom sermos críticos……..afinal de contas, se tem um tipo de mídia em que realmente a opnião dos consumidores (pelo menos parece) está sendo levanda em conta, é a de games (alguém já viu o caso “Dante” de Devil may cry? Pois é, a equipe de desenvolvimento deu alguns passos atrás na aparência do “herói” devido as críticas do público que idolatra a série…).
    Forte abraço!!!

    1. Gustavo de Paula

      Bem lembrado Lucas. Apesar do jogo ser imenso, acredito que a variedade de armas e armaduras seja baixíssima, além de poucos encantamentos interessantes. Logo virão DLC’s acrescentando essas coisas, mas não deixa de transparecer que o jogo saiu meio as pressas.

      1. Sim…sim concordo com tudo isso. Me parece que foi tudo meio que “vamos fazer no prazo x” mas, Skyrim é fantástico e se fosse lançado sem estes problemas seria perfeito….mas acredite: vi o jogo com a correção gratuíta de bugs…..é mais do que excelente….então né? Pq já não lançaram assim?

  2. Pingback: É difícil ser crítico de games? « Game & Críticas

  3. Pingback: Crítica sobre Skyrim « Game & Críticas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s