É difícil ser crítico de games?

Olá meus caros, hoje continuo com a sequencia de debates pouco vistos por aí, mas que considero importantes para quem gosta e/ou estuda videogame, seja no meio acadêmico, jornalistico ou até mesmo para quem encara isso como hobby: quais as dificuldades para fazer uma crítica de determinado game? Seria algo complicado de fazer? Vamos dar uma olhada mais a fundo nisso.

Já falei anteriormente sobre a diferença que vejo entre crítica e review de jogos (se quiser relembrar, veja aqui), portanto não vou ficar retomando essa discussão nesse momento. Nesse caso, discutirei sobre as questões que envolvem ser crítico de jogos e, consequentemente, ser um “entendido” do assunto.

A começar que no Brasil os preços dos jogos costumam ser bastante altos, sobretudo os lançamentos. Com um salário de trabalhador comum não dá pra ficar comprando as novidades a todo momento, ou seja, precisamos esperar um certo período até que o jogo tenha perdido um pouco do seu hype, para que assim seu preço caia, a menos que seja algo que você esteja aguardando a décadas e não quer perder nem mais um minuto para poder jogar, aí você paga mais caro mesmo e mata sua vontade. Não obstante, as empresas distribuidoras e as produtoras raramente disponibilizam seus jogos de mão beijada para os críticos, mesmo para aqueles que trabalham em veículos de grande repercussão. Em outras palavras, antes de começar a coisa já é difícil.

Outro ponto, são muitas as plataformas e os jogos costumam variar significativamente entre elas. Um exemplo bem nítido disso é Skyrim, que é bem bonito e acabado no PC, enquanto no PS3 os bugs são em muito maior número e os comandos não tão refinados. Isso sem contar os jogos exclusivos, como Halo, Uncharted, Mario e Diablo, pertencentes ao XBox, PS3, Nintendo e Pc respectivamente. Se quiser jogar todos, então precisará de todas essas plataformas instaladas em sua casa. O que costuma acontecer é que cada crítico acabe se especializando em alguma plataforma (para aqueles que não trabalham em estúdios que disponibilizam variadas plataformas). Normalmente todos possuem um pc (afinal de contas ele ainda serve para fazer outras coisas, como pesquisas, trabalho etc) e algum console em casa. No meu caso, além do Pc eu tenho um PS3, por isso a praticamente ausência de citações de jogos de XBox e de Wii. Só lamento que meu note já está começando a ficar antigo e nem todos os jogos rodam em minha máquina.

Superando essa questão das plataformas e de possuir o jogo, nos deparamos com outro problema: Não há um método ou protocolo bastante difundido e aceito pela comunidade para crítica de games. Eu até compartilho da opinião de muitos, que dizem que não existe método para uma crítica, bastando apenas que a pessoa tenha contato com seu objeto de estudo e depois escreva e reflita sobre ele, porém para fins de facilitação dos leitores, dos pesquisadores e para maior aceitação social, penso que seria muito interessante que alguns pontos fossem sempre abordados e que determinados referenciais teóricos embasassem essas críticas. Do contrário, acontece o que vemos muitas vezes por aí, muita gente falando pra todo lado, mas cada um a sua maneira, o que mais confunde do que auxilia aqueles que buscam por informação. Em breve, apresentarei aqui o Computer Games Criticism (CGC), um método para análise de games, o qual pretendo utilizar nas minhas futuras análises.

Por último, mas não menos importante, o principal: o crítico precisa jogar o jogo. Essa afirmação pode surpreender, mas muito mais surpreendente do que isso é saber o quanto as pessoas escrevem sem conhecer daquilo que falam e infelizmente isso é mais comum do que podemos imaginar. Além disso, jogar determinado jogo não significa apenas passar por seu tutorial, ou criar um personagem, aprender seus movimentos e sentar para escrever. Voltando ao exemplo de Skyrim (o qual eu já escrevi um pouco tempos atrás e pretendo escrever novamente) trata-se de um jogo imenso. Até considero que nesse caso ninguém precise jogá-lo 100% para poder escrever sobre ele, mas são muitas e muitas horas de jogo para que se possa comentar algo com propriedade sobre Skyrim e não é nada fácil encontrar tanto tempo no dia dia para jogar e jogar com olhos atentos, pois é bem diferente jogar por mera fruição e jogar com o intuito de realizar uma crítica. Eu (in)felizmente não consigo mais jogar sem esse olhar de crítico. Isso significa quase uma dedicação exclusiva, em que se abre mão de outros games para aumentar o conhecimento sobre um em específico. Nisso, as outras críticas vão atrasando e assim por diante. Se as pessoas pensam que é brincadeira ficar jogando e depois escrever sobre essa experiência, doce engano, pois isso exige mais do que muitos imaginam.

Espero que esse texto auxilie aqueles que gostariam de entender um pouco mais sobre a análise e crítica de jogos, mostrando que qualquer trabalho possui suas dificuldades e suas gratificações e no caso dos games isso não seria diferente. Também espero que fique mais claro o porque de existirem tantas críticas mal feitas por aí e de existirem muito mais reviews do que críticas, mesmo no meio jornalístico.

Até mais!

Anúncios

8 comentários sobre “É difícil ser crítico de games?

  1. Ricardo

    com certeza gustavo ,, fazer uma critica ,,,e realmente muito dificil ,, visto que como voce comentou tem que jogar o jogo pra realmente entender os detalhes ,, e voce tambem tem razao no tema preço,, esta cada vez mais dificil ,,os preços dos lançamentos sao absurdo..por exemplo os jogos do PS3…
    Para o PC agora agora voce tem que sempre estar comprando chaves de acesso para jogar online ,, e meu jovem a industria esta faturando alto ,,
    mas e o preço que se paga pela qualidade tambem ,, isto nao podemos negar,, ex: Diablo 3 que jaja estara em nossas maos ,,,rsrsrs..
    mas e isto continue escrevendo ,,pois os temas abordados sao muito interessantes,, agora vai uma sugestao ,,, deixe algumas dicas dos jogos tambem,,rsrs vao ser muito uteis..
    um grande abraço e sucesso..

  2. Um exemplo disto que você escreve é o próprio Skyrim. Enquanto tínhamos poucas horas de jogo não conseguíamos enxergar o quão pobre ele é em inimigos e interpretação, apesar da riqueza gráfica e do enredo. Acho que a crítica demanda algumas horas de jogo, aí é que complica a coisa.

    1. Gustavo de Paula

      Complica e complica muito, pois terminar determinados jogos exige muito mais tempo do que filmes ou livros e num meio tão agitado essas horas/dias/semanas podem ser devastadoras. Por isso mesmo eu não faço críticas de jogos super novos, me atendo mais a jogos com 6 meses ou mais de vida, no mínimo

  3. Tari

    Olá, Gustavo, gostaria de saber quais são os primeiros passos que uma pessoa deve tomar se quiser ser um crítico de jogos, Além, claro, de entender sobre o assunto.

    1. Gustavo de Paula

      Em primeiro lugar, não sei porque a resposta dessa pergunta não está aqui. Deve ter havido algum problema, de qualquer forma me desculpe pela demora.

      É importante conhecer do assunto, mas o que conhecer talvez seja ainda mais importante. Por exemplo, você vai falar somente de gráfico e jogabilidade (como muitos fazem)? Se for fazer, o que apresentará de diferente. Dizer que um jogo tem gráficos melhores do que outro é muito simples. Pode-se comparar motores gráficos, escolhas estéticas, importância dos gráficos e posições de câmera para aquele jogo, entender o funcionamento técnico daquele motor, comparar com outras mídias, notar influências visuais e muitas outras coisas. Isso para falar apenas dos famigerados “gráficos”.

      O que vale é entrar de cabeça, variar as leituras e os jogos, buscar diferentes fontes, inclusive fora do país, jogar produções alternativas e, acima de tudo, sempre ser um pouco desconfiado do que se fala por aí. Ter um senso crítico ajuda muito.

      Espero ter ajudado um pouco, qualquer coisa escreva mais, com certeza a resposta não levará um mês novamente!

      1. Tari

        Obrigada por responder :D
        Queria saber um pouco mais sobre o mercado e como se chega a um “cargo” de crítico.
        Pergunto isso porque tenho um amigo que é realmente bom nisso, entende bastante das mecânicas de diferentes jogos, jogabilidade, gráficos, etc. Ele faz uns reviews de alguns jogos e posta sem nenhuma pretensão em um fórum, mas as pessoas gostam bastante das coisas que ele escreve e da forma como ele o faz, a ponto de várias vezes já terem o presenteado com jogos para que ele avaliasse ou mesmo pedirem a opinião dele antes de comprar jogos (pessoas que ele nem conhece). Gostaria se saber se isso é um indício de que ele tem jeito para a coisa ou se isso é muito pouco para investir em algo relacionado a isso.

        Desde já agradeço :)

      2. Gustavo de Paula

        Isso leva tempo e acima de tudo esforço. Se ele já está com esse respaldo isso é muito bom, mas é fundamental não parar por aí. Num universo como esse que muda toda hora é mais do que fundamental estar sempre se atualizando, consultando as coisas novas e aprendendo com a história recente. Não se pode olhar só pra frente, mas buscar as origens de cada pensamento e demanda, perceber a evolução desde o início dos jogos, lá nos idos do Atari, por exemplo. Enfim, ele pode criar um blog, produzir um portfólio, registrar seus textos e vídeos. Com o tempo o reconhecimento vem.

        Eu que agradeço pelos comentários e dúvidas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s