La musique

Sexta é dia de música e todo bom jogo que se preze contém uma boa trilha sonora, sendo assim, é meio que uma obrigação minha abordar esse tema aqui no gamecriticas. São jogos musicais, trilhas originais, rock’n roll e tudo que as grandes produções tem direito. Isso sem contar efeitos sonoros, barulhos, dublagens etc. Para facilitar a minha vida e a de quem le, vou fazer um recorte e tratar apenas a questão da música nesse post. Se não fizesse isso eu acabaria por escrever um texto muito longo, o que consumiria o meu tempo e o tempo dos leitores. Aperte o play e vamos nessa.

Mesmo sabendo do grande sucesso dos jogos musicais (apesar de estarem meio caidos hoje dia), não é deles que pretendo falar, pois meu foco será em músicas originais e sobre seu uso nos estágios e na criação de ambientes dentro dos jogos. Particularmente eu até gosto dos Guitar Hero e Rock Bands da vida, são divertidos, me permitem tocar musicas que sempre gostei (também me obriga a tocar algumas outras horrorosas) e fazem a gente se sentir uma estrela do rock. Mesmo sendo um conceito que ainda será explorado pelo mercado, vide por exemplo Rocksmith da Ubisoft, esses jogos serão comentados em outro momento.

Hoje quero falar daquela música que marca um jogo, acabando por se tornar sinônimo do mesmo. Um exemplo simples e óbvio, que faz com que qualquer um entenda essa relação, é a eterna trilha da primeira fase de Mario, aquele do NES. Se ela começar a tocar em algum celular próximo, imediatamente seu pensamento voa para o bigodudo saltando sobre o Goomba e depois pegando seu primeiro cogumelo no jogo, um clássico e é justamente isso que busco aqui.

Para não ficar nessa simples obviedade, vou na busca de outros exemplos que me marcaram e, numa mescla de nostalgia com seriedade, apresentarei os jogos numa ordem cronológica, feita a partir de minha mera lembrança.

Uma trilha original que se alterou com o tempo, mantendo apenas sua estrutura é a de escolha de fases em Mega man. Nos vídeos da pra perceber a evolução desse pequeno tema super carismático. Reaprem, na musiquinha curta que toca durante a apresentação do boss da fase escolhida.

 

A olhos (ouvidos) desatentos isso pode parecer uma bobagem, mas não é. É muito difícil criar algo que seja ao mesmo tempo simples e que marque um personagem. Mesmo com as mudanças atuais que ocorreram com Megaman, durante um bom período ouvir essa musiquinha trazia o personagem azul à mente das pessoas e isso é um grande feito.

Outro clássico que ficou marcado pela música, mesmo elas não sendo originais do jogo, é o divertidissimo Rock’n roll racing. Conheço muita gente que identifica as musicas originais como sendo “daquele jogo do super nintendo” sem nem saber o nome da banda que a toca. De Deep Purple a Black Sabah, o rock come solto e marcou uma grande leva de jogadores. Esse foi um caso de excelente associação musical, em que o som pesado embala a destruição que o corre nas pistas. Os personagens são roqueiros e tem banda, as corridas são cheias de reviravoltas, mísseis, explosões e loucura, portanto o bom e velho rock caiu como uma luva. Veja e tire suas próprias conclusões. Isso sem contar a narração, que dispensa apresentações…

 

Ainda no super nintendo, Killer stinct vinha até com cd da trilha sonora e era outro jogo que apresentava belas músicas, todas elas originais.

Já no seu rival de época, o Mega Drive, Sonic corria solto (que piadinha terrível), com uma trilha invejável, tocada no vídeo abaixo pelo grupo Megadriver, do Brasil mesmo.

 

Dentre os exemplos atuais, Skyrim pode ser um destaque, apresentando um som orquestrado de altíssima qualidade. Logo de cara, ao iniciar o jogo, o jogadaor é surpeendido com uma canção impactante, um coro que causa impacto e apresenta o clima que virá pela frente. Ou seja, antes mesmo de começar a jogar, dá pra imaginar o estilo do jogo, mostrando a importância na criação do clima e o quanto ela auxilia durante a imersão.

É terrível ter que jogar algum jogo que toca somente músicas enjoativas e/ou sem graça. Chega até a ser chato e a ação no desenrolar do game se torna quase impraticável. Pare e pense, da vontade de jogar futebol com uma musica dessas?

 

 

Assim como nos filmes, o som (trilha sonora, efeitos etc) ocupa papel fundamental, criando o pano de fundo para que a ação seja prazerosa e marcante. Os exemplos simples aqui trazidos ilustram bem o que isso significae tenho certeza que todos tem seus próprios exemplos.

Esse foi um post mais simples e tranquilo, com a cara da sexta feira. Conto com a participação dos leitores, respondendo a esse most com suas trilhas marcantes.

Até

 

Anúncios

2 comentários sobre “La musique

  1. Diablo também tem uma trilha respeitável. To jogando o III aqui, por enquanto ainda não empolguei como nos outros. A evolução do personagem tá muito presa, você quase não faz escolhas… To esperando a tua análise pra ver se bate.
    abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s