Crítica sobre Skyrim

Finalmente, após muitas horas, muitos dias, muitas indas e vindas, posso dizer que terminei Skyrim, ou ainda, terminei sua campanha principal. Entre missões paralelas, pequenas buscas e participações em diferentes organizações, venho escrever minha crítica sobre esse jogo tão falado, premiado e jogado mundo afora. O intuiuto aqui não é funcionar como um juiz, nem dizer se vale a pena comprar ou não um jogo, mas sim análisá-lo de uma forma mais profunda, tocando em pontos que me incomodaram e/ou que me surpreenderam.

Elder Scrolls Skyrim é o quinto jogo da série, consagrada por sinal, e vem na sequencia de outro jogo muito badalado, Elder Scrolls Oblivion. A história geral do jogo eu não vou comentar aqui, pois ela é facilmente encontrada dando uma googlada por aí. Só digo que o personagem controlado pelo jogador é um Dragonborn, sendo considerado o único capaz de acabar com um mal terrível que assola a todos.

Após a construção do personagem você passa por uma sequencia interessante, em que após quase morrer você é libertado e começa a sua saga pelo mundo. Essa etapa de moldagem de seu personagem é interessante, apesar de um pouco frustrante, pois você praticamente não olha para seu personagem, sobretudo seu rosto, ainda mais se jogar com a visão em primeira pessoa.

Começado o jogo de verdade, a liberdade é imensa. Você pode vagar em qualquer direção e entrar em qualquer dungeon, cidade, caverna, etc. Mesmo possuindo uma história central, você não fica preso a ela, podendo seguir seus próprios passos, se envolvendo em outras questões, desbravando lugares novos, conhecendo personagens, buscando itens, enfim, você tem liberdade para fazer sua própria história dentro do jogo.

Amostra do mapa de Skyrim

 

Inicialmente isso parece fantástico. A cada lugar novo que surge em seu mapa a curiosidade só aumenta e o desejo por ir cada vez adiante só aumenta. No meu caso, em pouco tempo eu jpa estava envolvido com a escola de magia e me tornando um mago poderoso e envolvido com as questões do colégio. Termino as missões e me torno o arqui mago do colégio e, para minha surpresa, nada mudou. Meu personagem continuou sendo o mesmo! O mago que havia me indicado para ir até o colégio continuava dizendo a mesma coisa de antes, não levando em conta a posição que eu já havia alcançado. Estranho, mas resolvi ignorar isso em nome da minha diversão.

Depois disso resolvi me alinhar com o pessoal da Guilda de ladrões. Entre missões mais e menos divertidas, me tornei um nightingale, um verdadeiro andarilho nas sombras. Também pouca coisa mudou e comecei a reparar que eu tinha poucas escolhas dentro de casa missão. Eu tive a escolha de ir até a Guilda, mas estando lá as missões eram bem em cima dos trilhos.

Em pouco tempo comecei a reparar duas coisas: o estilo das missões se repetia bastante e as dungeons mais ainda. Os inimigos eram quase sempre os mesmos, não há drop aleatório de itens e você logo para de ficar andando pelo mapa, usando o fast travel o tempo todo. No caso do Ps3 isso é ainda mais chato, pois as telas de load são bem lentas.

Outro ponto também começou a me tirar do sério. Em determinados diálogos você PRECISA responder o que o NPC quer, pois do contrário você não consegue determinado item ou missão. Eu, que estava tentando fazer um personagem que não matava inocentes, logo se viu matando quase todo mundo, afinal o jogo meio que premia isso. Se você matar personagem X ganhará esse item, se não matar não ganhará nada. Quando vi que ficar sem matar não me auxiliava  em nada, acabei me tornando um verdadeiro assassino. Posso dizer que talvez tenha sido o ponto que mais de decepcionou em Skyrim, pois aqui matar é algo bom em quase 100% das vezes.

Não digo que todas as missões sejam iguais, mas muitas são.O conflito entre os Imperials e os Stormclocks é interessante, apesar de  eu achar que de pouca influência sobre nosso personagem em si.

O sistema de evolução também é muito elogiado e eu mesmo estava simpatizando com ele no começo, mas isso foi até perceber que no final das contas ele só serve para que no final nosso personagem saiba fazer de tudo. Não sei se isso é ruim, mas particularmente eu não gostei de ficar com um personagem tão genérico assim ao final do jogo. Eu praticamente não tinha fraqueza alguma e isso não é muito legal.

Voltando a campanha princial, que possui um tom bem épico, uma grata surpresa, pois ela é bem conduzida e bela. Mesmo enfrentando os mesmos inimigos de sempre, ela se mostrou interessante e consegue transmitir uma boa sensação de urgência e heroísmo durante o jogar. Porém, como nada pode ser bom demais para ser verdade, a decepção veio com toda força. Ao matar o grande Dragão Alduin e por fim a toda loucura, eu voltei por um portal e aguardei ansiosamente para alguma cutscene ou diálogo entusiasmente. Não via a hora de ver meu personagem ser carregado nos braços do povo, ou no mínimo ser admirado dentro dos bares. Mas não foi nada disso que aconteceu. Ou melhor, NÃO ACONTECEU NADA. Eu volto pelo portal, vejo alguns dragões voando e só. SÓ. As pessoas pela rua continuam falando a mesma coisa, sobre o perigo dos dragões etc.

O dragão alduin

 

Para um jogo dessa magnitude eu achei esse final uma falta de vergonha e bastante desanimador. Somando a ausência de qualquer espécie de multiplayer, meu desejo por um replay foi quase a 0%. Não é que o jogo seja ruim, mas para um replay falta muito.

Recentemente foi lançada uma expansão para o jogo, que poderia mudar minha opinião sobre isso. Mas a resenha feita pela Kotaku mostra que pelo visto nada mudou. Pega um item aqui, fala com alguém ali, mata os mesmos inimigos, pega outro item, fala com outro alguem, mata os mesmos inimigos e por aí vai.

Tudo me leva a crer que a maioria das críticas e resenhas feitas sobre o jogo na época de seu lançamento foram feitas sem as pessoas terem-no jogado por muito tempo. Ok, o jogo é imenso e os consumidores querem sempre uma análise feita “para ontem”, mas isso não justifica. Nessas e outras fico pensando se não foram injustos com Portal 2 ou Batman Arkan city em relação ao prêmio de jogo do ano.

Quero ressaltar que não considero skyrim um jogo ruim, mas repetitivo e cheio de decisões questionáveis. Isso, mais os problemas já apontados aqui mesmo nesse blog me fazem pensar se não foram precipitados os prêmios dados a ele.

O jogo tem seus méritos, oferencendo um mapa imenso e grande liberdade e talvez seja justamente essa sua maior dificuldade, pois arcar com tudo isso é algo muito difícil. Tenho certeza que muitos irão discordar de minha opinião e não vejo problemas nisso, mas eu apenas transcrevi minhas sensações enquanto joguei Skyrim.

Você que já jogou Skyrim, o que acha?

Anúncios

29 comentários sobre “Crítica sobre Skyrim

  1. andre

    Forma demasiadamente trabalhada e conteúdo fraquinho. Você sempre mata bandidos e lobos, sempre a mesma coisa. As habilidades são desequilibradas também, certa vez matei um dragão com uma adaga num ataque furtivo, e meu personagem tinha algumas poucas horas de jogo…

    1. Mateus Henrique

      joga no legendary que eu quero ver se isso acontece !! se seus inimigos foram so esses me desculpe vc jogou 1 hora de jogo por que eu posso listar o tanto de desafios que eu encontro !!
      -trolls de gelo e normais
      -dragoes
      -assassinos da darkbroterhood
      -ladroes de riften
      -falmer
      -atronach
      -sprigans
      -deuses daedras
      -necromantes
      -thalmors
      -vampiros
      e posso ficar ate amanha listando

      1. Gustavo de Paula

        Oi Mateus, obrigado por comentar, sobretudo por discordar de mim com educação.
        Eu joguei bastante sim, mas pela grandiosidade do jogo eu considerei poucos inimigos sim, mas é uma questão minha de gosto isso. Sobre a dificuldade, preferiria que ele exigisse mais mentalmente dos jogadores do que obrigasse a alterar o nível de dificuldade, que em geral só serve para dar mais vida aos inimigos, inteligência artificial surreal etc. O jogo não é ruim, longe disso, só acho que tem alguns problemas graves, que acabaram por me afastar dele depois de um tempo
        Mais uma vez, obrigado pelo comentário
        Abraços

  2. Uian Sol

    Depois de muito tempo resolvi – hoje – testar o famoso e badalado Skyrim. Resultado: Não consegui passar nem 3h jogando. A interface do jogo é horrível. A jogabilidade é fraca. Os gráficos de ambiente são até bonitos mas a interação com objetos é podre, chegando a parecer recorte do paint. A mecânica de evolução não é atrativa, nada de novo e generalista.
    O prêmio do jogo é um mundo aberto que sem dúvida enriquece muito a experiência de um rpg, e claro marketing eficiente que conquistou o prêmio de melhor jogo do ano antes mesmo de ser lançado – verdade seja dita.

    1. Gustavo de Paula

      Também achei generalista e acho que você tem razão quando fala que entregaram o prêmio de jogo do ano anstes mesmo dele ser lançado. Por isso é bom ficar de olho em quem está escrevendo sobre o jogo.

  3. Pingback: Dark Souls ou Skyrim? « Game & Críticas

  4. andre

    Discordo totalmente. O jogo eh EXCELENTE. O pessoal que nao gostou deve voltar ao PES, assassin’s creed e call of duty. Na boa, falar que eh ruim? Linear? lamentavel. Me fala um jogo que tem mais conteudo que Skyrim? Ele tem tanto conteudo quanto final fantasy e tanta açao quanto bioshock. Soh pra ter uma ideia, vc pode minerar um metal, depois derreter a pepita, formando um lingote, para depois criar espadas, armaduras, etc, depois pode melhora-los (superior, enhanced) com as ferramentas certas e depois ainda encanta-los com magias de sua escolha. Tem a alquimia q soh ali tem coisa o suficiente pra te prender por horas. pegando ingredientes, descobrindo efeitos e formulas. Inimigos repetitivos? AH VA! tem lobos, ursos, morsas, peixes, bandidos, lobisomens, vampiros, dragoes, draugrs, falmers, esqueletos, automatons diversos, espiritos, trolls, tigres dente de sabre, gigantes, mamutes, etc fora q cada tipo de inimigo tem suas versoes basias ate as mais tensas, ao exemplo de um simples Restless draugr ate um Draugr DeathLord… agora REPETITIVO? que jogo q tem mais inimigos que esse? FALA UM! soh RPGs… e olhe la! Os graficos sao FODAS, soh o efeito de luz, ao olhar o sol e depois olhar o escuro, quela adaptacao da iris ocular eh demais, entre outros. O som eh demais tbm, pra quem joga com fone 5.1 sabe o que to falando. Os dialogos sao sempre muito bons, mostrando a personalidade de cada NPC, claro pra quem entende ingles neh. Realmente tem muitas “fetch” quests de ir la e pegar o item. Mas existem muitas quests criativas pra dizer o minimo. principalmente quests das Daedra shrines. Da pra ter sua propria casa, ajudantes, da pra fazer uma exposiçao de seus melhores itens em sua casa, como em um museu, deixando-os na parede ou em manequins. Pode comprar coisas pra sua casa tbm. Enfim, eu poderia falar muito mais sobre esse jogo se quisesse. Me parece que o amigo Reviewer aqui, jogou a main quest e mais algumas side quests e pronto. no minimo criou um warrior e ignorou completamente todas as skills de criaçao de itens. Um jogador de elder scrolls q se preze sabe q pra ter um char over eh necessario upar a 100 as skills de alquimia, enchanting e blacksmith. Essa analise eh mto parcial, deveria ser como uma dissertaçao, sem sua opiniao propria, diga o q tem no jogo e deixe-nos tirar nossas conlcusoes. Dssa forma vc cria as opinioes sem q os leitores pensem antes. Em fim… Skyrim nao eh um jogo pra se jogar de forma leviana, vc precisa saber algumas hrs nao sao nada em Skyrim, eh preciso dedicaçao. Tem q conversar com os NPCs, conhecer a historia do jogo. Ah sim, tem os livros tbm, centenas de livros com varias hisorias que vc pode ler e aprofundar ainda mais a imersao no jogo. Quer açao rapida que nao exija que vc pense? como disse, vai jogar PES e call of duty. GOTY for the WIN!

    1. Gustavo de Paula

      Não joguei Skyrim de forma leviana, joguei 111 horas antes de escrever um review. Não disse que skyrim é um jogo ruim, muito menos quero que seja como PES ou CoD. Eu comentei que existem as skills de criar itens, que são mais fáceis de upar do que qualquer coisa no jogo, por exemplo. A estratégia para matar os inimigos é muito simples, simples até demais, tanto que muita gente termina o jogo antes do lvl 20 se quiser. Eu mesmo devo ter morrido mais caindo desatento de penhascos do que em combate. O jogo é imenso sim, eu não omiti isso, está tudo aí no texto. Skyrim tem várias qualidades, mas passado um ano muita gente tem considerado uma “fraude” ele ter ganho o “goty”. Além disso, acho mais do que fundamental colocar a própria opinião em uma crítica, pois é impossível eu deixar de ser eu mesmo quando escrevo um texto. A respeito dos monstros, até Chrono tigger do snes tem no mínimo 10 vezes o numero de monstros e nem vou falar sobre baldur’s gate, Never winter nigths e outros. Não sei quantos anos tem, mas se já jogou esses jogos sabe do que estou falando.
      Skyrim não é um jogo para se jogar fora, só acho que o endeusaram demais e os problemas dele me incomodaram muito. Pouco depois de tê-lo jogado eu coloquei as mãos em Dark Souls e gostei muito mais desse. No fundo, não deixa de ser uma questão de gosto pessoal etc, mas a minha crítica em relação a skyrim foi em outra direção. No inutio de criar um jogo imenso acabaram por construir algo inchado e com decisões morais e consequencias bem estranhas. Enquanto pesquisador de jogos fiquei com a pulga atrás da orelha em várias passagens e com a forma leviana com que tratam a morte (por ser um jogo de RPG). Não disse que o jogo seja ruim, nem mesmo que seja linear, tanto que comecei dizendo “Começado o jogo de verdade, a liberdade é imensa. Você pode vagar em qualquer direção e entrar em qualquer dungeon, cidade, caverna, etc”. Eu disse apenas que muitas missões são parecidas e lineares.
      Mas é isso, as opiniões discordantes são as mais interessantes, pois é a partir delas que surgem os melhores debates e onde mais aprendemos. Espero que escreva mais e obrigado pelo comentário.

      1. Andre

        Oi Gustavo, obrigado pela resposta. Acho q escrevi tudo isso de cabeça quente, rsrs. De qlq forma, eu concordo em qse tudo que vc expos aqui sobre o Skyrim. MAs ainda assim penso q ele eh o jogo do ano. Sim, sou da epoca do Atari, tbm joguei Chrono Trigger, um dos melhores jogos EVER, joguei Baldur’s shadows of Ahm tbm, tbm fodastico. Os jogos antigamente tinham uma storyline q da de 10 nos jogos de hj em dia, q tendem em ser todos em primeira pessoa. Eu vi com meus proprios olhos a Square assassinar o final fantasy ao longo dos anos, realmente triste. Penso q antes, por falta de recursos q hj sobram, os criadores tinham q usar a imaginaçao e criar roteiros convincentes para os jogos, coisa q hj em dia praticamente nao existe mais. Ate o Skyrim peca nessa ponto, pois a historia central eh MEGAMASTER cliche… a la Chosen one. Uma pena. MAs comparando com outros jogos q tem por ai esse ano, eu ainda fico com ele, mas sei q eh questao de gosto. Mas soh eu sei o q eu daria pra ter de volta jogos como os de antigamente, com enredo de verdade, e com personagens memoraveis, coisa q o Skyrim nao tem, vamos combinar. Mas dai eu penso, poha… de dez jogos concorrendo a GOTY, 8 sao em primeira pessoa…. ah! pelamor neh…. Fazer oq, vivemos em uma epoca em q qualidade visual eh tudo. MAs voltando ao Skyrim, confesso q tbm estou enjoando. devo ter umas 140 horas nele. Ainda nao completei a main quest. Virei lobisomen apenas recentemente, o q deu um animo extra ao jogo, a expansao The Dawn tbm da folego extra, alem de conteudo extra, armas, vestimentas, etc. Porem certas coisas ainda me chama a atençao, e demonstram o carinho dos programadores. Por exemplo, qdo vc tem uma arma muito louca, tipo Mehrune’s Razor, ver um guarda comentar, sem falar diretamente com ele, UAU! essa eh uma arma irada, quem vc teve q matar pra consegui-la? ou agora q sou lobisomem, eles falam, q fedor! vc esta cheirando a cachorro molhado, vc estava cuidando dos seus cachorros? Tem citaçoes pra quem eh vampiro, ou se vc eh Thane de alguma cidade, ou se vc tem bounty. Outra coisa q mto me agrada eh a questao da sombra no jogo. Ela realmente se move junto com o Sol, algo q eh inedito pelo menos pra mim. Uma coisa q faltou de fato eh a questao da orientaçao do Char, ou indole, assim com tem no Baldur’s gate. No fallout 3 teve tbm, mas era Karma. Ou seja, suas escolhas e açoes vao afetar seu Char e a relaçao dele com os outros e as opçoes q vao aparecer no futuro. Isso faria toda a diferenca em Skyrim. MAs se bem q eu lembro de uma vez q um dragao atacou uma cidade e um NPC morreu, da pouco depois veio um courier me entregar o testamento dele dizendo q as coisas dele eram minhas… me deixou pensando se aquele NPC me daria alguma quest se estivesse vivo. Gostaria que vc colocasse aqui sua opiniao sobre qual deveria ser o GOTY. E qdo eu digo q Skyrim eh foda, eu coloco de lado os grandes nomes de games of all time como Chrono Tigger e Cross, FF7, Baldur’s, Ocarina of time, breath of fire, Mega man, conquer’s bad fur day, resident evil 2, Castlevania – SOTN, Xenogears, GOW, Shadow of the colossus…. entre varios outros. Pra finalizar, eu culpo a geraçao de hj, q nao gosta mto de pensar, mto menos de ler e escrever, entao os jogos nao colacam mais coisas pra pensar, nem mta coia pra ler, daqui a pouco os jogos vao se jogar sozinhos. Eh isso ai, valeu!

      2. Mateus Henrique

        as coisas que voce falou sao muito relativas, skyrim é um jogo que para pegar um entendimento total da historia e dos seus sistemas eu levei mais de 300 horas de jogo , tente terminar o jogo abaixo do lv 60 na dificuldade legendary , o intuito do sistema de skills é que o jogador depois de um certo tempo possa dominar todas as classes para poder fazer todas as quests , como por exemplo você nao consegue completar a guilda dos ladrões como guerreiro (se conseguir quase n ganha dinheiro e fica linear e chata) pois sao missoes stealth , e os npcs nao te adoram como um Deus por que ja existe um dragonborn Deus ( Timber Septim ou Talos) o nosso char é apenas mais um dos muitos herois que ja pisaram em skyrim, quanto a matar inocentes o jogo é inspirado na mitologia nordica, os nordicos não consideravam que matar era errado desde que a pessoa pudesse se defender, eles eram acostumados a matar , eles so nao aceitam a covardia (como por exemplo como a darkbroterhood mata , em furtividade ) , quanto aos inimigos concordo que deveriam ter mais variedades no jogo , infelizmente os criadores deram mais foco aos dragões e esqueceram dos outros , mas mesmo assim ainda existe um variedade consideravel de inimigos considerando que existem tipos especies e niveis de cada inimigo que enfrentamos no jogo !!!

  5. Lucas Rosa

    Bom…vou eu dar minha opinião: Skyrim tem a melhor trilha sonora original de loooooooooooooooonge! Quando você coloca o BD no console a música toca e você logo se empolga, o jogo começa, você observa o seu status, vê a quests a serem completadas e corre com o seu pocotó para mais uma aventura, mas aí a coisa desanda um pouco..tsc!
    Estou om 75 horas de jogo e ele está engavetado a três semanas porque Trine 2 está me oferecendo mais desafios, emoções e principalmente uma coisa que depois das trinta horas de jogo não tenho mais em Skyrim: sensação de recompensa! Sejamos honestos, a primeira vez que você matou um dragão foi empolgante né? Mas e décima terceira? Não era para os dragões serem os inimigos mais temíveis de toda província? Além do baixo desafio que os inimigos oferecem (com exceção dos Trolls!) fica nítido que algumas quests são primorosas e que com certeza receberam um carinho especial dos desenvolvedores, mas 70% delas são repetitivas. Masmorras e ruínas parecidas, inimigos parecidos e por aí vai…
    Vou citar o exemplo da quest que mais gostei. Ela ocorre em Morthal onde seu personagem é convidado a investigar a causa de um misterioso incêndio e a aventura se desenrola com muito mistério, um pouco de investigação e porrada e você descobre que tudo era uma conspiração de um grupo de vampiros. Bem legal né? Mas o problema é que eu tentei fazer algo um pouco diferente: invadir a casa de um dos suspeitos e ele me pegou no flagra e por isso, tive que descer a lenha no cara!
    No final da história ele não era culpado, eu não fui punido por isso, ninguém deu falta dele na cidade e isso nem alterou os rumos da missão. Resultado: quest nos trilhos mesmo! Mas eu acho que isso se deve a uma coisa: a Bethesda quis fazer um jogo grandioso e não primoroso (apesar da maravilhosa trilha sonora e gráficos bem legais), o que eu quero dizer é que eles pagaram um pouco caro pela grandiosidade do jogo, já que fica difícil programar tanta situações em jogo que tem como mote ser livre.
    Parabéns pela coragem Bethesda. Eu recomendo Skyrim como um bom jogo, mas não entra no MEU top 20 de jogos e loooonge de ser o jogo do ano!
    Forte abraço!

    1. Gustavo de Paula

      Excelente comentário Lucas e obrigado a todos pelos comentários, pois só assim o blog pode crescer. Para qualquer escritor/blogueiro é fundamental as críticas, debates, elogios, sugestões etc. Skyrim tenho sido polêmico nesse aspecto e nada melhor do que discutir para repensar nossos conceitos.

    2. Andre

      Rsrs, eu indo na contramao, desligo a musica, ela me irrita! prefiro jogar sem musica pois tento simular a realidade do personagem, ele nao teria uma musiquinha acompanhando ele por toda a parte, nao eh? mas durante as primeira hrs eu deixava ligado, e sim, a trilha eh mto boa, e coerente com o q ta rolando na tela. na minha opiniao o q falta em Skyrim em questao de batalhas, eh a inteligencia artificial. Os inimigos todos se lançam em cima de vc sem nem pensar duas veses. eles nao se escondem e procuram diferentes estrategias como em Metal gear por exemplo. isso eh meio retardado. Tipo, vc level 40 dai vem um Skeever lixo achando q vao arrancar sua cabeça e morre com um tapa seu. isso eh bem bizarro. Por isso as lutas ficam chatas, pois se parecem mto. A melhor quest na minha opiniao eh a Arniel’s Endeavor, onde vc tenta descobrir o q ocorreu com os Dwemer de fato. Pela magnitude de conteudo e pela qualidade grafica+sonora ainda sim eh GOTY pra mim. Posso saber qual seria sua opçao para GOTY? ah, pra mim Skyrim eh o melhor pra singleplayer, pra multiplayer certamente meu voto vai pra battlefield 3! Q deixa CoD no chinelinho. Outra coisa, eu vejo todo mundo falando q troll eh dificil de matar, pra mim sao um dos mais faceis, ele sao super lerdos e morrem rapido com fogo. Na minha opiniao os mais dificeis sao os Casters… Talvez pq eu seja um mago tbm?

      1. Gustavo de Paula

        Ótimos comentários André, muito bom mesmo. No fundo da pra perceber que falamos a mesma língua e temos algumas percepções semelhantes. Por exemplo, realmente da pena de ver o que foi sendo feito com Final Fantasy. São tantos recursos e jogos tão fraquinhos, sem peso, sem carisma, enfim…
        Skyrim tem muita, muita coisa boa mesmo, sobretudo na ambientação e não é nada fácil criar esse nível de imersão num jogo. Quem dera se os jogos “ruins” fossem do nível de Skyrim. Tenho me obrigado a jogar de tudo para poder escrever a respeito aqui no blog e não quero fazer como a maioria dos sites que joga a primeira hora do jogo e já escreve a respeito, por isso as 111h de jogo em Skyrim. Sei que nem todos gostam e o estilo é diferente, mas recomendo dar uma olhada em Dark Souls. Talvez uma mistura dos dois fosse o ideal… ou não.
        Quanto ao GOTY, difícil dizer, pois não joguei todos os indicados. Já encomendei e no ano que vem terei em mãos o Arkhan city e o Uncharted 3. Vai parecer um absurdo o que vou dizer, mas pra mim o grande jogo era Portal 2, mas sem a menor sombra de dúvida, pois será um jogo a ser lembrado pra toda história, referência e um marco no gênero. Anote essas palavras, Portal vai entrar em livros no futuro, sejam livros sobre games ou livros que retratam uma época. Mas o prêmio de jogo do ano envolve outras coisas, como o apelo que o jogo causa nos jogadores NAQUELE ano. Apesar de não ter jogado, pelo que li eu acredito que o Arkhan city fosse o merecedor, mas só poderei dizer isso mais pra frente, não gosto de falar sem jogar. De qualquer forma a maioria das pessoas considerou Skyrim como o jogo do ano e tem seus argumentos pra isso e bons argumentos. Complicado de entender, mas é nessa linha que penso.
        Quanto a matar trolls, pra mim sempre foi muito fácil hehe.

  6. Lucas Rosa

    André e Gustavo: fácil matar Trolls com magia ou com arco depois que vc evoluiu bem, mas antes no puro aço a coisa é foda! rs….
    De qualquer forma André, acho que são discussões e elas são válidas e por isso, obrigado por responder às minha colocações.
    Penso que é importante em ocasiões como essas respeitar as opiniões das outras pessoas quando expressamos as nossas críticas. Isso aconteceu e foi bom cara! No fundo, o que me preocupa é algo que acho que vai de encontro a um dos comentários que você fez: o consumo das mídias! Não sei se é coisa de geração ou não, mas as produtoras de todos os tipos de mídia empurram as coisas em nossos bolsos e muitas vezes pagamos por algo que nem nos dá o respeito. Caras, de verdade, acredito que discussões como estas são bem vindas pois entre outras coisas, nos fazem mais exigentes e quanto mais críticos formos mais seremos respeitados. Vide o exemplo de Mass Efect 3 que (não sei se isso foi bom ou não, pois ainda anão joguei ME3 e…..fazer esse tipo de coisa pode deixar o povo mimado…né?) que teve um final que promoveu uma insatisfação geral e sabemos o que aconteceu depois……
    Forte abraço!

  7. Lucas Rosa

    A quanto a jogo do ano: ainda não joguei todos, por hora pude testar o Batman e ver um amigo jogando e brinquei um pouco com Uncharted 3…gostei muuiiiiiito dos dois. Vou tentar zerar ambos e te retorno.
    Hmm…..tem um ponto em que vou concordar com o Gustavo: Dark Souls é foda demais! Confere cara e garanto que em pelo menos um ponto (já apontado em seus comentários!) você gostará! Este deveria ser mencionado nestas premiações!
    PS: relamente BF3 põe CoD no chinelo!

  8. wandowater

    Sinceramente so posso lamenta para aquele que diz que o jogo e os dragões são faceis por ter jogado o jogo em normal (facil ou kidmode) ou seja nenhum inimigo pode ter mais que 10 de lv acima do seu faça um teste vai na opções do jogo e coloca no ultimo nivel

    1. Gustavo de Paula

      Mesmo assim, no nível normal é fácil demais e a estratégia de combate muito simples. Acho que o que todos queriam dizer é que as lutas contra os dragões deveriam ser mais épicas e não tão simples e aos montes como são

  9. Lucas Rosa

    Wandowater fis isso cara e realmente oferece mais desafios mesmo…..legal o que vc comentou havia esquecido deste detalhe, mas ainda assim é uma melhoria cosmética em algo que preza por ser tão grandioso. Ainda assim, repito: Skyrim tem os seus méritos! Joguem!

  10. Anderson Pereira

    Eu gosto muito de skyrim acho um jogo com classes bem trabalhadas alguns belos bugs mas nada que acabe com a diversão claro que não existe jogo perfeito mas coloco skyrim como um dos melhores ao lado de diablo e the legend of zelda ocarina of time.

  11. Wellington Freitas

    Realmente a final da Main Quest é muito broxante, se caso eu fosse aconselhar alguém a jogar skyrim,diria para nem se quer fazer as quests principais do game,que ficasse somente nas side e upando o máximo de level que conseguisse, até achar que poderia ter uma luta digamos “realista” contra Alduin o devorador de mundos.
    Salvar Skyrim e passar ao lado de um guarda em witherun e ele dizer idiotices como :”Voce é novo na guilda dos guerreiros? o que voce faz la, serve hidromel ? ” é algo que te tira da imersão que no começo o jogo te oferece muito bem,porém no final tudo vira uma “robotização” e uma escrotidão só.
    Mais nada me deixou mais puto quanto a quest dos Blades da delphine,achei horrível durante o dialogo em que a Delphine e Esbern tentam me convencer de que matar o Paarthunax é o certo de não me darem a escolha de persuadi-los ou intimida-los falando tipo :
    “Voces esqueceram para quem os Blades servem?Servem para o Dragonborn,eu como dragonborn decido o que irá acontecer”.
    Porra, fiquei puto pra caralho,deu vontade de matar essa delphine puta,quando ela me mandou matar o Paarthunax.
    Oras porras,eu sou o dragonborn… não sou servo apesar do tempo todo o jogo transformar o dragonborn,personagem principal da trama como um “Garoto de recados” ou o quebra-galho.
    Até parece que eu iria matar o único dragão que teve a mente aberta de perceber os erros do próprio irmão(Alduin) e ainda deu suporte e conhecimento aos Greybeards para que assim os mesmos me guiassem no caminho de um verdadeiro dragonborn e enaltecer o meu Th’um.
    O pior é que realmente eu estava entusiasmado em fazer as missões dos Blades e caçar dragões a fora até pra aumentar as horas de diversão com o game e melhorar a experiência,mas tudo por causa de um velho e uma vadia os Blades irão morrer no esquecimento e terá pelo menos o desprezo do meu personagem Sr.W.
    Só lembrando,que eu entendi perfeitamente a ideia da Bethesda em te dar 2 escolhas do tipo : ” Fique do lados dos dragões ou mate todos eles” , juro que eu entendi perfeitamente MAS, se eu escolher ficar ao lado do Paarthunax que pelo menos me dessem a escolha de matar o Esbern e a pi#@# da Delphine, eu mataria ambos com um sorriso de uma orelha a outra e colocaria um fim ou um recomeço para os Blades.

  12. Sinara Moreira

    Como acabar o jogo nivel 11 isso e querer substimar inteligencia aleia. gente acorda esse jogo nao tem fim. cada bimboca se entra .acha alguempedindo algo ou seja e uma missao eu jogo todos os dias fiz varias missoes.todas que vcs citaram ai cada vez aparece mais muito serio amo esse jogo tem alguns defeitinho mas me interajo tanto com o jogo que nao importo mesmo .sou feliz por telo apezar que ta meio arranhado kkkk

  13. Oi, bem o que vc disse ai é bem a vdd do jogo, quando comprei o game não entendia muito bem, pois nunca avia jogado um jogo tão complexo em certas partes, porém com uma semana de game adorei, mesmo não lendo as missões eu ia fazendo elas, até chegar num nivel +/- 40, dai descidi criar outro personagem para começar do zero e entender mais todas as histórias, pow muito legal, teve missões que amei, até chegar na missão sangue de gele não sei direito em que eu vo investigar uns assassinatos e do nada mando prender o wizard do castelo, blz dai eu fiquei meio assim pow como era ele se os wizard nem saim do castelo, fui cv com ele pq tinha uma amuleto estranho que não dava pra jogar fora, nem encantar, só vender, mas achei ele bonito e não vendi para um “cidadão” blz dai o wizard do nada diz para eu ir as ruas de noite, blz fui la e tinha uma garota que era ligado so ferreiro da cidade, e o cara com uma adaga de ferro só q numa posição de ataque sabe, fui e conversei com ela dai o cara nem ligou e a matou e era ele o assassino pq segui ele e ele foi pra casa lá que na hora era minha pq comprei dai o meu ajudante q me mandam o matou dai não entendi nada, achei q a historia iria ter um final mt legal bem…dai vem aquele negocio de loading né q vc entra no colégio dos magos e tem q entrar numa porta q vai dar loading e se quiser ir para os quarto dos arch mage é mais um load…sendo q seria mt simples colocar apenas portas q abrem normal…outra coisa tosca do jogo foi eu matar o dragão principal kkkkkkk vo até rir…..kkkkkkk com uns 6 hits sendo um de flecha e os outros 5 com uma espada grande daedra bem certo q tava dando mais ou menos 500 de dano, mas achei mt facil e não teve nenhum loot :( nem XP nem uma festinha, apenas uma musica nova nos bares ainda q os cantores cantão assim “letra”……………….pausa……..”letra”………………..pausa…….”letra”
    Sem contar o jeito de “escalar” montanhas é agoniante, vc trava num graveto e não consegue pular, meu ontem eu quase desliguei o console quando travei num pilar caido e não consegui pular…o jeito q ele desce do cavalo (deveria ser igual ao do shadow of the colossus)
    Agora me fala a Ebony Mace é linda, Ebony GreatAxewar é divina, dai os cara me cria aquele ebony sword e adaga kkkkkk parece uma barra de ferro de construção afiada kkkkk sem duviadas as espadas mais lindas são a Steel e Elven…na minha opinição as armas deverias ter quase o mesmo dano, o q mudaria nelas seria as afiações q vc aplica!

  14. klauss

    O jogo é quase perfeito voce diz falta de interaçao com objetos fala serio da pra voce pegar ate garfo e faca pra lutar dizem que lutar com dragoes é facil entao vc deve ter jogado no maximo ate o modo adept as decisoes que voce faz no jogo voce escolhe oque quer ser as missoes que voce quer fazer e fazer uma missão atraz de um item daedrido é demais voce pode ter um parceiro que te ajuda voce aprende magias e usa espadas e arcos mais vc pode tacar o fodasse vc pode ser oq quiser ir onde quiser jogabilidade ruim voce ta brincando né totalmente instintivo na verdade o jogo em si é instintivo voce começa nao sabendo nada mais com o tempo vai se aprimorando e ficando mais forte pra mim a unica desvantagem é que muitas horas jogando injoa um pouco ja que o jogo é grande e tem muito pra ser explorado mais ai é so definir oque voce vai fazer primeiro seguir missoes secundarias ou a principal e sim existem bugs mais é antiga geração com uma hora de jogo vc ja esqueceu as dificuldades em entender o jogo

  15. Player

    É exatamente isso, eu sou quase o Jarl da cidade e os guardinhas ainda me ameaçando… Em plena guerra, eu com os Stormcloacks, com armadura azul e tudo, passava em frente aos Imperiais e eles me comprimentavam. Eu falava com um personagem, completava a quest e ele falava comigo como se fosse a primeira vez. Acho também q deveria haver 3 classes somente: Ladrão, Mago ou Guerreiro, e não a mistura de tudo. O jogo deveria ter um final, aí se o playre quiser continuar é com ele mesmo, mas tinha q atualizar o estatus do personagem com a população, de acordo com os feitos heróicos. Chato também é evoluír o personagem e os inimigos também evoluírem, então não tem uma sensação de poder, era como o jogo NFSU com carro todo nível 3 e não conseguir abrir de carros nível 1. Mas enfim, Skyrim é um ótimo jogo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s