2013 previsões

Passada a ceia de natal e o pequeno recesso forçado que tive, venho para o último post de 2012. Aproveitando a onda que se espalha em todas as esferas, vou apresentar as minhas previsões para 2013 no mundo dos games. Mais do que qualquer coisa séria ou científica esse é um momento de descontração de dar palpites, arriscar sobre o que vai acontecer no ano que chega. Todas as opiniões são baseadas em vídeos, experiência própria, mercado etc.

Ao que tudo indica 2013 será um ano movimentado, contrário do que foi 2012 um ano atipicamente frio no que se refere a games e seus arredores. As promessas de grandes lançamentos tem mexido com a cabeça das pessoas, que aguardam ansiosas para ver o resultado das continuações de franquias consagradas a darem as caras novamente no ano que vem. Vamos a algumas delas:

1 – GTA V

GTA V promete muito
GTA V promete muito

Já cravo aqui: GTA V será considerado o jogo do ano em 2013. Obviamente eu posso me enganar, mas duvido bastante. GTA é um jogo popular entre jogadores e críticos, o último da série foi extremamente elogiado e ao que tudo indica o pessoal da Rockstar não perdeu o jeito de fazer jogos. Sem contar que Red Dead redemption também faturou prêmios no ano de seu lançamento, ou seja, esse é o candidato mais forte para o ano que vem. Se você quer apostar com algum amigo seu, vá de GTA, pois seria o mais seguro palpite.

2 – Tomb Raider

Lara Croft estará de volta em mais um Tomb Raider
Lara Croft estará de volta em mais um Tomb Raider

Aqui já me preparo para receber minhas maiores críticas. Tomb Raider parece ser um jogo belíssimo, gráficos excelentes que dão muita vida a musa Lara croft. Musa que aliás nunca foi tão “humana” pois parece que os produtores do jogo eram sádicos que queriam ver a garota sofrer, pois nos trailers da pra ve-la sangrando, suja, cansada e berrando de dor. Isso tudo é bem interessante e faz com que nos aproximemos da protagonista. Porém, no pouco que vi do gameplay, parece que Uncharted deixou um legado “maldito”. Drake roubou o lugar no coração de muitos fãs dos jogos de ação, que antes pertencia a Lara Croft e para reaver esse posto eu percebi significativas semelhanças com a jogabilidade de Uncharted. Espero muito estar enganado e que a história do jogo me convença do contrário, pois tenho bastante receio de que a sombra de Drake tenha afetado a bela Lara e seu mais novo jogo.

3 – Last of Us

Last of us chegará exclusivo para Ps3
Last of us chegará exclusivo para Ps3

Mais um apocalipse zumbi, esse aos moldes de “Eu sou a lenda”. Dos mesmos produtores de Uncharted, Last of Us é outo jogo que chega com gráficos muito bem trabalhados e um enredo que, a princípio, já é conhecido por todo gamer. As semelhanças com Uncharted são óbvias e isso também me preocupa em certos aspectos, mas os personagens do jogo parecem ter grande carisma e personalidade. Estou bastante curioso com esse jogo e acredito que levará a estatueta de melhor jogo de Ps3 em 2013. Particularmente eu quero muito poder jogá-lo, pois esse será um apocalipse zumbi diferente de Left 4 dead ou resident evil. Só espero que não façam um jogo parecido demais com Uncharted e que explorem bem esse enredo tão “clássico”.

4 – Bioshock Infinite

Saindo das aguas de rapture e voando para Columbnie, a nova cidade utopia de Bioshock
Saindo das aguas de rapture e voando para Columbine, a nova cidade utopia de Bioshock

Bioshock infinte vem enfrentando problemas em sua produção, com trocas de pessoas importantes no time desenvolvedor. O jogo já foi adiado duas vezes e ao que parece existem várias discussões internas sendo realizadas a respeito da  sua jogabilidade. Mas anotem, esse jogo vai ser grandioso. Ao que tudo indica os produtores querem inovar alguma coisa na jogabilidade de um estilo que quase não muda, os FPS. A história de Infinite me atraiu logo de início e essa imagem acima resume bem isso. O tom político e maduro presente nos dois primeiros jogos da série parece ser ainda mais forte agora. “Correndo por fora” Bioshock infinite vai surpreender positivamente muitos jogadores despreparados. Anotem e me cobrem depois, esse será um jogo incrível.

E são vários outros jogos a serem lançados também em 2013. Não comentarei todos, pelo menos não agora, mas farei uma menção aqui. Não quero dizer que esses dos quais eu não comentei tenham menor importância, pois não é isso. Acontece que dei destaque aqueles que considerei os que tenho mais propriedade para falar e curiosidade para conhecer. Além disso esse post teria quilométrico se fosse falar de todos os bons lançamentos do ano que vem. São eles:

Devil may Cry; Dead Space 3; Crysis 3; God of War Ascension; Starcraft II Heart of the swarm; Metal Gear risgin: revengeance; Castlevania lord of shadows 2; Beyond two souls. Esqueci de algum?

E aí, já preparou os bolsos? A lista de jogos interessantes é grande e é bom se preparar. Eu já prevejo uma calamidade financeira, mas já adianto que minhas análises sempre sofrerão um delay, pois é bem pouco provável de eu conseguir jogar esses jogos logo em seguida de seus lançamentos. É uma pena, mas todos sabemos como os jogos são caros no Brasil e não é toda hora que conseguimos traze-los de fora.

Ainda nesse último post de 2012 eu gostaria imensamente de agradecer a colaboração de todos. Já ultrapassamos por muito a marca das 8 mil visitas e o gamecriticas não para de crescer. Para o ano que vem o blog deve passar por uma repaginada, impulsionado pelas visitas e pelos comentários que recebo. Também prometo as análises dos seguintes jogos: Journey, Batman Arkhan city, Deus Ex human revolution, Uncharted 3, Shadow of colossus e ICO, pois terei acesso a eles em breve.

Muito obrigado a todos e que em 2013 possamos jogar ainda mais!

Até,

Gustavo Nogueira de Paula

Os melhores de 2012

VGA 2012, a premiação dos games
VGA 2012, a premiação dos games

Aconteceu semana passada o VGA 2012, a premiação para os melhores jogos do ano em várias categorias. Nesse ano o evento teve a apresentação de Samuel L. Jackson e mais uma vez foi transmitido ao vivo. Mas vamos analisar rapidamente as principais categorias e seus vencedores. A lista completa você pode encontrar no omelete.

Melhor game para PCs

Diablo III
Guild Wars 2
Torchlight II
XCOM: Enemy Unknown

Como já falei várias vezes, a vida de crítico brasileiro é bem complicada, pois eu simplesmente não consegui comprar nenhum desses jogos, então vi vídeos e li um pouco a respeito de cada um. Não vou entrar no mérito do merecimento do prêmio para o XCOM, mas com certeza foi um golpe duro para o pessoal da Blizzard, que parece ter dado uns passos para trás nesse ano. Diablo III sequer ganhou o prêmio de melhor RPG do ano, que ficou com Mass Effect 3 (aparentemente justo).

Melhor jogo de Xbox 360

Assassin’s Creed III
Borderlands 2
Dishonored
Halo 4

Não tenho Xbox e não joguei nenhum desses também, mas ao que parece todos concordaram com a premiação de Halo 4, mesmo porque eles costumam dar esse prêmio para os jogos exclusivos. Infelizmente não tenho muito mais a dizer.

O vencedor de melhor jogo para Xbox 360 em 2012
O vencedor de melhor jogo para Xbox 360 em 2012

Melhor game para Wii / Wii U

New Super Mario Bros. U 
The Last Story
Xenoblade Chronicles
ZombiU

Outro prêmio “óbvio”, pois os jogos do Mario sempre são “queridinhos” e nesse caso não seria diferente. O pouco que joguei desse New super mario realmente foi muito divertido e mais uma vez o prêmio foi dado a um jogo exclusivo.

Melhor jogo de PS3

Assassin’s Creed III
Borderlands 2
Dishonored
Journey

Aqui a coisa é mais interessante, pois o prêmio foi dado a um jogo Indie e de um pequeno estúdio. Journey desbancou Assassin’s Creed (que vem sendo cada vez mais criticado negativamente), Borderlands e Dishonored. Jogarei esse jogo no ano que vem e poderei falar com mais conhecimento sobre ele, mas devo admitir que foi uma excelente surpresa, estou muito curioso para conhece-lo melhor. Parece ser uma evolução da academia, premiar um jogo mais cult e artístico e não apenas os arrasa quarteirões de sempre. Torço para que seja uma tendência.

O misterioso Journey venceu como melhor jogo de ps3 em 2012
O misterioso Journey venceu como melhor jogo de ps3 em 2012

Jogo do ano

Assassin’s Creed III
Dishonored
Journey
Mass Effect 3
The Walking Dead: The Game

Outras ótimas surpresas. Primeiro o fato de journey ter concorrido e segundo o fato de um jogo baseado num programa de tv ter vencido o prêmio de jogo do ano. Isso mostra que é possível fazer adaptações midiaticas de qualidade e que o fato de parte da história ser contada e aprofundada na televisão não faz o jogo perder seu valor. Não tive a oportunidade de jogar Walking Dead e não descarto a possibilidade de um mega jabá para promover a série, mas deixo para os leitores me auxiliarem nessa questão.

Jogo da década

The Legend of Zelda: The Wind Waker
Half-Life 2 
World of Warcraft
Shadow of the Colossus
Wii Sports
BioShock
Portal
Mass Effect 2
Red Dead Redemption
Batman: Arkham City

Essa sim foi uma categoria interessante, além de ser nova no evento. Os jogos indicados eram todos muito bons, realmente fora da média e marcantes. Muita gente reclamou que jogo A ou jogo B deveriam estar inclusos aí, mas no geral vejo como uma boa lista e na minha opinião o prêmio foi mais do que justo. Half Life 2 é um jogo fantástico, que surpreende até hoje. Jogabilidade excelente, que ditou novas regras, enredo envolvente, gráficos belíssimos e a inesquecível Gravity gun.  Além disso, de certo modo o prêmio também acaba esbarrando em portal, pois ambos fazem parte do mesmo universo da aperture sciente etc. Inclusive, vale ressaltar que dois jogos presentes na Orange box foram indicados a jogo da década, Half Life 2 e Portal.

O eterno Half life 2 levou o prêmio de jogo da década
O eterno Half life 2 levou o prêmio de jogo da década

Parece que valorizaram aspectos mais artísticos dos jogos e torço para que isso continue. No fundo os jogadores ficaram com a sensação de um ano fraco, sem jogos muito marcantes (exceção de Journey), culminando numa premiação não muito atraente. Porém, ao que tudo indica o ano que vem será intenso, preparem os bolsos e os corações para jogos importantes, mas escreverei mais sobre isso num post ainda esse ano.

Até mais,

Gustavo Nogueira de Paula

Game, arte e o velho debate

Saiu no jornal Folha de SP semana passada: o museu de arte moderna de Nova Iorque terá uma sessão permanente dedicada exclusivamente aos games. Inicialmente serão apenas 17 jogos e pretende-se com o tempo chegar ao número de 40. A íntegra da notícia você pode ler aqui. Se preferir pode conferir a notícia diretamente no blog do museu.

Hoje não vou entrar especificamente no debate se game é arte ou não, mas abordar algumas características dos jogos que o diferenciam enquanto meio expressivo e o porque de um museu tão importante se abrir a esse meio, enquanto outros lugares mal sabem que eles existem.

Museu de arte moderna de NY
Museu de arte moderna de NY

Em um trecho da entrevista  da curadora do museu Paola Antonelli, presente no blog do museu encontramos o seguinte:

Are video games art? They sure are, but they are also design, and a design approach is what we chose for this new foray into this universe. The games are selected as outstanding examples of interaction design—a field that MoMA has already explored and collected extensively, and one of the most important and oft-discussed expressions of contemporary design creativity. Our criteria, therefore, emphasize not only the visual quality and aesthetic experience of each game, but also the many other aspects—from the elegance of the code to the design of the player’s behavior—that pertain to interaction design.

Ou seja, não trata-se apenas das questões estéticas, mas também do design. É nessa característica que reside o grande diferencial dos jogos e também o que diferencia os bons jogos dos jogos ruins. Um design elegante, simples e funcional é algo complicado de conseguir  e exige muito trabalho. Não a toa estão lá presentes, Pac Man, Sim city e Portal, esses jogos são exemplos de ótimo design e são exaustivamente estudados pelos produtores de jogos.

Mas enquanto lá os jogos ganham cada vez mais status e adquirem mais importância, por aqui ainda são ligados a violência e tudo aquilo que a gente sabe. Fica difícil prever um futuro tranquilo para os jogos no Brasil, pois eles ainda não são tratados como devem. Quanto mais as pessoas isolam e temem os games menos se aprende sobre eles. Além disso, ocupar espaço dentro de um museu torna o objeto mais próximo das pessoas e mostra que nem todos os jogos são iguais, que alguns possuem maior qualidade e que assim como todo meio expressivo nós encontramos bons e péssimos exemplares.

Se na música ou na literatura algumas obras clássicas são consideradas complicadas ou profundas demais para o público em geral, que as vezes acaba por rejeitá-los, nos games começa a acontecer a mesma coisa. O conceito presente em alguns jogos chega a ser tão experimental ou revolucionário que acaba por não agradar a massa de jogadores. Isso pode ser complicado se nos lembrarmos que a maioria das produtoras vivem das vendas de seus jogos etc.

Vale a pena refletirmos sobre a questão dos jogos artísticos, pois o fato de ser arte pode não necessariamente fazer com que determinado jogo caia nas graças de todos jogadores e ser reconhecido apenas por meia dúzia de críticos não é aquilo a que a arte se propõe. Para isso, precisamos entender mais sobre os jogos e reconhecer que nem todos são feitos para alcançar todos os jogadores. De qualquer forma, quanto mais os conhecermos, mais chance temos de aproveita-los enquanto experiências artisticas.

E apenas para dar mais gosto aos curiosos, segue a lista dos próximos jogos que estarão presentes no acervo. Coincidência ou não, no geral são vários jogos que já mencionei aqui no blog.

Over the next few years, we would like to complete this initial selection with Spacewar! (1962), an assortment of games for the Magnavox Odyssey console (1972), Pong (1972), Snake (originally designed in the 1970s; Nokia phone version dates from 1997), Space Invaders (1978), Asteroids (1979), Zork (1979), Tempest (1981), Donkey Kong (1981), Yars’ Revenge (1982), M.U.L.E. (1983), Core War (1984), Marble Madness (1984), Super Mario Bros. (1985), The Legend of Zelda (1986), NetHack (1987), Street Fighter II (1991), Chrono Trigger (1995), Super Mario 64 (1996), Grim Fandango (1998), Animal Crossing (2001), and Minecraft (2011).

Em breve jogarei flow e poderei fazer minha crítica
Em breve jogarei flow e poderei fazer minha crítica

Reflita a respeito, comente no post, até mais.

Gustavo Nogueira de Paula