Quanto vale uma nota 10?

Se você é estudante, vai a escola todos os dias, não arruma encrenca com os professores/professoras, faz suas tarefas direitinho e estuda para as provas, então provavelmente você é um estudante nota 10.

Mas e se ao invés de estudante você toca na bateria da Mangueira, vai a todos os ensaios, pratica em casa, se aprofunda em música e é uma pessoa disciplinada, há uma boa chance de sua escola receber nota 10 nesse quesito.

Ou então se você for jogador de futebol, treinar forte, acertar todos os passes, ajudar na marcação, não levar cartões, correr o jogo todo e ainda marcar o gol decisivo para o seu time no campeonato talvez você receba nota 10 dos jornalistas corneteiros de plantão.

E se ao invés disso você for uma dessas mulheres que concorrem em concursos de beleza bizarros, como nova participante do Big Brother ou nova “assistente de palco” do Pânico. Vai malhar muito, se alimentar bem, utilizar alguns anabólicos, um pouco de silicone, conhecer as pessoas certas e o 10 pode, quem sabe, cair no seu colo.

Ok, mas e se você for um jogo de videogame, do que vai precisar? Uma boa história, gráficos bonitos, boa jogabilidade, variedade, inovação, profundidade, diversão e talvez mais algum  outro aspecto mais ou menos técnico. Isso garante a tão falada nota 10? Pode ser que sim, mas nesse meio (assim como em vários outros) a nota 10 pode vir de diversas formas e de diferentes maneiras.

Esse assunto voltou a despertar minha atenção pelo seguinte motivo: Nessa terça feira dia 26 ocorre o lançamento mundial de Bioshock Infinite, terceiro da série que já vendeu mais de 5 milhões de cópias e que eu mesmo já elogiei muito por aqui. Acontece que mesmo antes do lançamento do jogo já existem dezenas, isso mesmo dezenas, de análises sobre ele e a maioria com notas 10.

É bastante comum que as produtoras liberem cópias antecipadas para os meios especializados (o qual ainda não faço parte, uma pena), mas revelar notas na véspera do lançamento é algo no mínimo desagradavel para mim. São avaliações que chegam a ser feitas com poucas horas de jogo e escritas as pressas em vários casos. No metacritic já constam 35 análises, isso apenas para Pc.

Não estou aqui a duvidar da capacidade do jogo, nem de seu potencial e quem quiser pode conferir nas minhas previsões para 2013, que escrevi ainda em 2012. Mas o fato a ser debatido aqui é a importância da nota. Bioshock Infinite esteve em produção durante 4 anos e contou com um orçamento de 100 milhões de dólares, considerado alto até mesmo para franquias como GTA ou Call of Duty, isso sem contar o marketing, que deve atingir cifra semelhante.

bioshock-infinite

Agora imagine um cenário em que um jogo caro e importante como esse recebesse notas baixas antes mesmo do seu lançamento. Muito pouco provável, a menos que o crítico fosse alguém independente como eu, pois a grande mídia não “pode” bater de frente numa situação como essa.

O que cabe a nós é aguardar o lançamento do jogo e conferir se as notas batem com a realidade, sendo sérios e não apenas passionais. O hype que tem sido criado em torno desses grandes lançamentos tem me assustado um pouco e também me preocupado. O que se vende logo na primeira semana é o que garante o lucro da produtora, então nada mais fundamental do que criar um mito antes mesmo do jogo chegar as prateleiras das lojas.

Vamos esperar para ver.

Gustavo Nogueira de Paula

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s