O Censo dos personagens nos jogos de Video game

Todos as pessoas de todas as cores, idades e gênero são representados de forma semelhante dentro dos jogos, ou será que alguém se sobressai nisso tudo? Alguém é subrepresentado? Qual a importância de ser representado dentro das mídias?

Foram essas e algumas outras perguntas que motivaram os pesquisadores Williams, Martins, Consalvo e Ivory a realizar um censo dos personagens de video game. Feito o censo, foi realizado um levantamento para comparar o censo dos personagens com o Censo geral da população dos EUA, a fim de verificar como cada raça, gênero e faixa etária eram representados dentro dos jogos. Vamos aos achados.

Primeiro, o gráfico que exibe os dados relacionados aos personagens dentro dos jogos, tanto personagens principais quanto personagens secundários.

Censo dos personagens dentro dos jogos de video game
Censo dos personagens dentro dos jogos de video game

É notória a esmagadora maioria de personagens masculinos, sejam como personagens principais ou secundários. As personagens femininas não chegam sequer a 15%.

Agora o gráfico da representatividade de raças dentro dos jogos, junto com os dados do censo americano (particularmente não gosto do termo “raça” mas é assim que o artigo é apresentado).

Comparação entre os dados dos personagens e do censo dos EUA
Comparação entre os dados dos personagens e do censo dos EUA

A partir deste segundo gráfico já podemos fazer inferências mais interessantes. Podemos perceber que as pessoas brancas são super representadas (80% contra 75%), enquanto negros, hispânicos, nativos americanos e bi raciais são sub representados, ou seja, os personagens aparecem em uma porcentagem menor do que a da população em geral. Dado curioso ocorre com os asiáticos, que são super representados também, aparecendo nos jogos em porcentagem maior do que se vê na população geral, mesmo não sendo de forma tão grande quanto os brancos.

Isso nos faz refletir o quanto os jogos, em muitos casos, apenas representam uma cultura dominante. Os gráficos ilustram de forma bastante clara o quanto as pessoas brancas ainda são mais valorizadas, dominando a maior parte dos personagens, que em geral são homens, ou seja, homens brancos.

Outro fator que não pode ser inferido a partir do gráfico, mas que fica constatado no artigo é que boa parte dos personagens negros estão presentes em jogos esportivos. Se excluirmos essa categoria de jogos a representação de negros cai drasticamente.

A seguir a representação por idade em conjunto com os dados do censo.

Idade dos personagens e da população
Idade dos personagens e da população

Os adultos são super representados, com uma porcentagem de personagens incrivelmente maior do que a da população em geral. Os adolescentes praticamente empatam em termos de representação e as crianças e os idosos praticamente não aparecem nos jogos, sendo muito pouco representados em relação a porcentagem existente na população.

Esse dado mostra o quanto os idosos são excluídos dessa mídia, falando em termos gerais. Mesmo com o advento do Nintendo Wii e do Kinect, que em teoria valorizam e representam todas as idades, isso não se reflete no montante geral dos personagens dos jogos. Surpreendente é a baixa representatividade das crianças dentro dos jogos, o que nos faz pensar cada vez mais na adequação dos conteúdos para crianças e jovens.

Muitas análises podem ser feitas a partir dos gráficos e números apresentados, mas vou apenas me ater a questão da representação. Se levarmos em conta que estes jogos não são jogados apenas nos EUA, a representatividade se torna algo ainda mais delicado. Imaginemos o Brasil: Quanto os jogadores se sentem representados por aquilo que jogam? Uma mulher brasileira se sente confortável com essa mídia?

Por essas e outras que os marmanjos de plantão não podem reclamar tanto do desinteresse de suas namoradas em relação a seus jogos favoritos. Isso vale para os mais velhos etc.

10367182

É uma situação muito semelhante ao que vemos nas novelas, por exemplo. Qual a porcentagem de personagens negros? Destes, quantos são empregadas domésticas?

Essa representatividade é muito importante e nesse caso apenas reflete a sociedade desigual em que vivemos. No fim das contas acabamos sempre caindo no mesmo ciclo: as produtoras fazem jogos assim, que vendem mais, que estimula a fazer jogos assim etc.

Se tiver fôlego, vou tentar fazer algo semelhante com a população brasileira. Vamos ver o que encontramos.

Até mais,

Gustavo Nogueira de Paula

Referência:

WILLIAMS et al. The Virtual census: representation of gender, race and age in video games; New media & Society; Los Angeles, 2009.

 

Anúncios

2 comentários sobre “O Censo dos personagens nos jogos de Video game

  1. Lucas Rosa

    Muito interessante..isso me faz pensar também na participação destas “minorias” como negros, latinos e afins na criação de games….eles estão por lá? Se sim o quanto interferem no processo de criação e tentam se representar?

  2. Gustavo de Paula

    Bem lembrado, eu simplesmente esqueci de mencionar isso no texto, pois há uma relação direta, que forma um ciclo: fala de representação leva a falta de interesse, que leva a falta de produtores advindos dessas “minorias”, que leva a falta de representação e por aí vai

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s