Jogos fáceis demais ou de menos?

No início de julho uma declaração do CEO da Nintendo Satoru Iwata chocou muitos jogadores e fãs de jogos ao redor do, quando tentava justificar a queda no nível de dificuldade nos jogos para o Nintendo Wii U. Reproduzo aqui de forma direta parte do discurso e da reportagem, retirada do omelete.

A maioria dos jogadores de hoje não pode terminar o jogo Super Mario Bros. original. Realizamos testes ao longo dos últimos anos para ver quão difícil devemos fazer os nossos jogos e descobrimos que o número de pessoas que não conseguem terminar o primeiro nível é cada vez maior“, disse, reiterando que 90% dos avaliados não conseguiam passar da primeira fase.

Iwata também falou que os jogadores não entenderam mecânicas básicas, como o botão de execução e que as moedas devem ser recolhidas e não derrotadas. Cerca de 70% dos participantes morreu no primeiro inimigo, o Goomba.

Por fim, os jogadores disseram que o jogo deveria ser mais fácil e que Mario deveria ter uma arma ou uma espada – muitas vezes, as pessoas sequer notaram que o jogo era realmente antigo e não uma reprodução de algum clássico.”

 

Os cabelos ficaram em pé e os jogadores em geral, sobretudo os mais antigos, correram para logo dizer que a geração atual de gamers não sabe jogar, que querem tudo mastigado, que os jogos de antigamente eram mais legais e esse tipo de comentário vago que normalmente não se baseia em nada a não ser um empirismo duvidoso.

Eu JÁ FALEI sobre isso aqui no blog, mas vou falar novamente. Os jogos antigos, tais como Mario (citado na matéria acima) tinham capacidades e memória minúsculas se comparados aos jogos atuais. Como reproduzir as mais de 200h de Skyrim em um cartucho que mal aguentava algumas poucas fases de Mario? Isso seria impossível, ou seja, em pouco tempo o jogador já teria terminado Mario e cartucho ficaria empoeirando, a menos que o jogo fosse difícil e exigisse muito do jogador.

Mario na era 8 bits
Mario na era 8 bits

Os exemplos de jogos cruéis são vários, como Gradius, Actraiser, Battletoads e outrs já conhecidos do público. Mas o fato dos jogos de hoje serem teoricamente mais fáceis é algo problemático demais? Não, em geral não é.

A começar que essa suposta facilidade dos jogos é questionável. Mesmo salvando e carregando o jogo do último ponto partida após uma morte, para refazer suas ações também conta como morte. Outro ponto a ser lembrado é que os jogos de hoje são mais complexos, com mais botões, comandos e uma tendência maior a uma verossimilhança com a sociedade que nos cerca. Respondam sinceramente, o que há de óbvio em um encanador bigodudo pular para esmagar um cogumelo com cara de mau que vem sua direção, ou em dar cabeçadas para quebrar blocos de tijolos e recolher moedas de ouro que não são usadas para comprar nada ao longo do jogo?

Hoje em dia isso tudo pode parecer óbvio para quem já jogou, mas não é para aqueles que nunca tiveram contato, assim como não o era quando pessoas que nunca haviam jogado videogame se deparavam com isso na época do lançamento do jogo.

Tanto que na maioria das vezes os jogos são conhecidos por possuírem enredos pífios, com desafios que servem apenas para complicar a vida do jogador e prolongar a vida de um game e não porque faz algum sentido que estejam por lá.

Não defendo que os jogos devam ser completamente fáceis, até porque em muitos casos é possível alterar o nível de dificuldade logo no início do jogo. Sei, por exemplo, de muitas pessoas que jogam no nível fácil por não terem tempo de ficar repetindo o mesmo desafio várias vezes até conseguir superá-los, pois gostariam de acompanhar a história do jogo e não apenas ficar decorando a hora certa de apertar o botão do controle.

 

O debate é bom, mas fico muito desapontado com alguém que possui uma posição dessas, em uma das maiores empresas de jogos do mundo e que coloca a culpa dos seus jogos fáceis nas costas do jogador. Mas se os jogadores aprenderam a jogar com Mario, então em que momento eles mudaram? Ou será que foram os próprios jogos que mudaram e causaram essas mudanças no comportamento do jogador?

Espero que esse texto não seja difícil demais de ler, pois do contrário precisarei baixar o nível da escrita e depois culpar os leitores.

Gustavo Nogueira de Paula

Anúncios

4 comentários sobre “Jogos fáceis demais ou de menos?

  1. Vexx(PS2) é um dos games mais dificílimos que eu já joguei. Além dos inimigos chatos que irritam qualquer um, a dificuldade em pegar os WraithHearts é insana. Tem uns que são simples de pegar, outros são bem difíceis. Vexx é conhecido como uma versão brutal do Super Mario 64, e tem elementos muito similares aos de Super Mario 64. Outro game que eu considero dificílimo é o Mega Man X7. Além da dificuldade de resgatar os 16 prisioneiros de cada uma das 8 fases dos 8 Mavericks, Soldier Stonekong, Tornado Tonion, Flame Hyenard, Vanishing Gungaroo, Ride Boarski, Splash Warfly, Wind Crowrang e Snipe Anteator, o game inteiro é dificílimo pacas, inclusive na luta contra o Sigma. Mega Man X7 é o pior game da série X, até o Command Mission é melhor.

  2. Pingback: Ludoletramento, conhecimento, dificuldade | Game & Críticas

  3. L.

    Deixa de ser chato respeita os gostos dos outros cada um joga como quiser seja no fácil ou difícil cada um se diverti como quer, para um cara que fala tanto em preconceito e é preconceituoso com os games atuais e com a forma que cada um joga.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s