As nossas ideias

Além da Imaginação

Sabe aquela sensação que temos quando terminamos de assistir algo e pensamos “eu teria feito diferente”? A partida de futebol rolando, o atacante sai frente a frente com o goleiro, tenta um drible e perde o gol. Imediatamente nos transportamos para dentro do gramado, imaginamos que estamos com a bola e em nosso sonho marcamos o gol e nos deleitamos com os gritos da torcida.

Ou então aquele filme que vai super bem, te prende na poltrona do cinema, mas no final é terrível e nos desaponta. Mais uma vez, nos transportamos para o set de filmagem e recriamos o final a nossa maneira, mais ousado, sem finais felizes forçados e com doses extras (ou mínimas) de violência.

Isso quando a ideia não vem inteira à nossa cabeça. Não são poucos os que dizem “Eu gostaria de ter feito um filme do Batman” ou alguma coisa a respeito. O desejo de criação arde na mente de muitos, mas essa infinitude de ideias permanece no mundo dos sonhos, guardado com cada um.

No meu caso as ideias giram muito em torno dos jogos. São várias as ideias malucas, que com certeza não receberiam financiamento algum, mas na minha imaginação são ótimas e gostaria de vê-las concretizadas. Nem sou tão ligado a jogos de administração, manager etc, mas gostaria muito de produzir jogos administrativos ligados a temas governamentais. Não gostaria de algo superficial e geral como o Sim City, mas sim de temas e pastas específicas do setor público.

Imagine um simulador em que você é o responsável por cuidar da Educação do estado de São Paulo. O jogo lhe apresenta as metas estatísticas, verbas, situação geral, situação de cada escola, gastos etc. Daí em diante é com o jogador. Como será que cada um sairia? Seria mais interessante ainda se junto a todas as situações administrativas os problemas sociais também fossem parte do jogo, com dilemas morais e éticos. Perda de dinheiro com corrupção, ameaças de grandes corporações interessadas no negócio. Em pouco tempo, na minha cabeça, o jogo se parece mais com um filme de gangsters do que algo ligado a Educação e desenvolvimento social.

Para não ficar somente nesse tipo de tema, que tal um jogo de futebol em primeira pessoa? Ou ainda, que tal um jogo de algum esporte menos conhecido como o Curling. Creio que seria interessante levar o Curling para dentro das salas, através do kinect, me parece, no mínimo, engraçado.

Curling
Curling

O importante é exercitar esse pensamento e, mesmo que seja apenas em seus sonhos, crie novas ideias e deixe a imaginação voar o mais longe possível. Você professor, deixe seus alunos criarem as ideias mais improváveis, registre e tente reproduzir algo depois. A mesmice que tem tomado conta das mídias me assusta, então vamos tentar apresentar algo novo.

Deixe aqui sua ideia improvável, vamos criar nosso bestiário de jogos/filmes/peças etc.

Gustavo Nogueira de Paula

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s