Alerta vermelho e a Mídia vs Escola

As vezes os EUA parecem gostar mais do comunismo do que a antiga URSS
As vezes os EUA parecem gostar mais do comunismo do que a antiga URSS

Pelo menos de dois em dois anos o discurso político passa a receber atenção das pessoas. Seja pra falar mal de todo mundo, compartilhar boatos e mentiras  ou discutir propostas e ideias, é fato que isso chega a vida das pessoas, mesmo que de formas bastante distintas.

Nessas horas/épocas nos deparamos com todo tipo de discurso, porém um em específico tem chamado demais minha atenção: O discurso de ódio preconceituoso e a direita cada vez mais forte. Não deveria, mas ainda me choco ao ver como as pessoas tem mais ódio do que medo em relação as palavras comunismo, socialismo e derivados. A cor vermelha é quase banida, sobretudo se você for do Estado de São Paulo.

Neste exato ponto começa a reflexão que nos leva de volta ao assunto principal deste Blog, os videogames. Se os conteúdos curriculares estão aí para todos, os livros didáticos, as apostilas, as obras literárias, os debates na internet etc então por que tanta ignorância ao falar sobre esses assuntos? Porque é bem diferente alguém estudar e conhecer o socialismo, para então criticá-lo, do que o ódio corriqueiro que costumamos ver por aí, quase 100% das vezes baseados em argumentos sem o menor sentido.

Acontece que ante o discurso escolar/acadêmico nós temos uma enxurrada de falas perversas a respeito de qualquer política ou pensamento de esquerda. De jornais de notícias, a programa de fofocas e jogos de tiro em primeira pessoa, a ideia é sempre a mesma, combater o comunismo em defesa da liberdade do capitalismo.

Como convencer uma criança, através de aulas escolares, que o Zangief não é “do mal”? Como fazer com que um jovem perceba que os “heróis” do Call of Duty massacram outros povos? Como dar foco ao fato de que a cor vermelha é sempre o segundo player, que nos jogos antigos sequer aparecia na sequencia final?

Infelizmente o discurso escolar não tem força pra vencer isso. São poucos minutos de aulas específicas contra uma praticamente uma vida toda de Rambos, Indiana Jones, Final Figth, Call of Duty etc. A competição é muito desleal e acaba desembocando na ignorância que tanto vemos espalhadas por aí.

Alerta vermelho
Alerta vermelho

Que exista pessoas que realmente sejam contra o pensamento de esquerda, embasadas e apoiadas em estudos eu não duvido. Nem vou julgar o que seria melhor, não é a ideia desse post. O problema é o ódio, desconhecimento e preconceito, que taxa não apenas as políticas voltadas ao social, mas também todos aqueles que as defendem.

Não há solução a curto prazo, mas como sempre digo, através da produção de jogos nacionais, com temáticas que fujam dessa dicotomia Azul x Vermelho e que não reproduzam preconceitos políticos tolos e infantis, talvez possamos diminuir essa ignorância. Aí, voltamos ao papel da escola, que ao invés de apenas apresentar as doutrinas políticas deveria também instruir sobre os discursos midiáticos, para que as pessoas saibam criticar seus conteúdos e não apenas reproduzir asneiras preconceituosas que expõem sua ignorância política nas redes sociais.

É um trabalho de formiga, que precisa ser feito passo a passo, mas precisamos nos mexer, pois esperar que Globo, Warner, Activision, Microsotf e afins passem a mudar seus discursos em prol da educação das pessoas, sinto muito, mas teremos que esperar por uma nova humanidade.

Gustavo Nogueira de Paula

Anúncios

17 comentários sobre “Alerta vermelho e a Mídia vs Escola

  1. Eu nao sou de esquerda (sou de centro) e apesar de nao concordar com certos ideais de esquerda devo admitir que a midia tem esse gostinho contra o vermelho (no call of duty black ops vc extermina civis sovieticos como se fossem um bando de demonios .-.)

    1. Gustavo de Paula

      Exato, não é uma questão de concordar com essa ou aquela ideologia, mas compreender que há um posicionamento muito forte das mídias em geral. Exterminar civis soviéticos é um exemplo bem claro. Obrigado pela dica

  2. Carlos

    Então que dizer que se os jogos fossem a favor do comunismo você seria a favor nê seu hipócrita nojento do caralho, é por isso que eu digo a educação Brasileira esta um lixo há anos com professores miseráveis e manipuladores que ao invés de fomentar o pensamento critico nas crianças as manipula colocando a ideologia esquerdista nas suas cabeças porque todo mundo sabe que a educação Brasileira só tem professores comunistas que há anos vem implantando na cabeças de adolescentes e crianças ideologia comunista é lamentável isso.

  3. Carlos

    O comunismo matou 100 milhões de seres humanos! Agora me diga se você vai encontrar algum fato lamentável desse ligado ao comunismo em um livro de historia nunca porque todos nos sabemos que a educação Brasileira é manipulada por forças poderosas para implementar o comunismo na cabeça das pessoas em um mundo de bom senso que se declarasse ser comunista devia ter o mesmo tratamento que nazista tem ou seja o total repudio mas como vivemos em um país dominado por gente safada isso não acontecê.

    1. Junior Medias

      No Brasil, hoje, as noções transmitidas de política e cidadania estão flagrantemente contaminadas de conceitos marxistas, particularmente no ensino de nível médio. O que se ensina nas aulas de História, Sociologia, Geografia, e mesmo em Literatura ou Filosofia, não passa de doutrinação.

      Na maioria dos Estados, a rede pública de ensino está sob controle de docentes sindicalistas, militantes partidários.Os textos escolares, quase sem exceção, empregam o vocabulário marxista, mesmo o mais ortodoxo, como “consciência de classe”, “luta de classes”, “modos de produção”, “exploração internacional”, “imperialismo americano” e a rotineira demonização do Capitalismo.

      O aluno que chega à Universidade vem viciado nos esquemas mentais apreendidos de seus mal-formados mestres de Ciências Humanas.

      No nível superior vão deparar-se igualmente comprofessoresassumida ou sutilmente tendenciosos à esquerda.Ali já teriam critérios próprios que os poderiam imunizar, na melhor das hipóteses. O mal porém já está feito, desde a adolescência, desde a formação de suas opiniões.

      Hoje, o “politicamente correto” proíbe a menor menção vexatória a religiões, culturas, raças, opções sexuais. Mas não se observa o menor escrúpulo emridicularizar lideranças políticas e autores que não rezemsegundo a cartilha esquerdizante. Os métodos de constrangimento vão do sorriso condescendente à perda de pontos por respostaideologicamente discordante da do respectivo professor. No discurso se propaga a intenção de “formar o cidadão crítico”; na verdade a crítica já é dada pronta, pré-fabricada.

      Concursos e admissão de professores dependem de critérios inquestionavelmente políticos. Exemplos mais flagrantes disso foram observados no Estado do Rio Grande do Sul e no Distrito Federal, onde a máquina burocrática tem sido dominada há décadas por partidos de esquerda. Os textos escolares comprovam o implícito ou explícito marxismo. Diferentes

      dos tradicionais manuais de História, de autores conhecidamente eruditos, os atuais textos didáticos são produzidos em autoria coletiva, portando mínima ou nenhuma titulação. A indústriado livro escolar, seja dito de passagem, de consumo obrigatório e em grande escala, será um dos melhores negócios nas atuais circunstâncias.

    2. Junior Medias

      O Ministério da Educação – órgão federal que centraliza o sistema educacional brasileiro – tem voltado sua atenção para o problema do livro didático nestes últimos anos.

      Diante da profusão de manuais escolares que a cada ano élançada no mercado, denotando uma indústria que não conhece crise, o MEC arrogou a si a tarefa de avaliar seus métodos e conteúdos. Nomeou para isso comissões de professores, sem que se saiba sob quais critérios. Tais comissões produzem – já em segunda edição – GUIAS DE LIVROS DIDÁTICOS, com o fim de orientar mestres e escolas nas diferentes disciplinas. Classificam assim os textos como recomendáveis, recomendáveis com ressalvas e não recomendáveis.

      Critérios foram previamente estabelecidos para guiar tais avaliações. Além dos critérios gerais, cada comissão define os específicos para sua área. Todos enfatizam o objetivo de “formar cidadãos críticos e responsáveis”, e expressam condenação a preconceitos ou juízos de valor quanto a culturas, religiões, raças, costumes, etc.

      Curiosamente, entre tais preconceitos, não se menciona o político-ideológico. É vedada toda discriminação cultural, raciale de gênero, mas nunca se explicita a discriminação partidária. No GUIA DO LIVRO DIDÁTICOpara a 6a. 7a. e 8a. série, de 2000 – 2001, à página 460, encontramos a absurdidade que abaixo reproduzimos:

      Nenhum livro poderá ser considerado bom ou ruim por sua declarada ou implícita opção, por exemplo, pelo idealismo, pelo marxismo, pelo tradicionalismo social, ou por qualquer outra perspectiva ou forma de encarar a vida ou a sociedade. O que caracteriza, de fato, um bom livro de História é sua coerência e adequaçãometodológica.”

      Teríamos assim aprovados bons livros nazistas, maoístas, anarquistas, etc., desde que coerentes consigo mesmos. Critério talvez aceitável para um nível superior, nunca para adolescentes de nível médio. Na verdade, o que aqui se insinua, não passa de total permissão à ideologia marxista.

      A publicação do MEC elogia, por exemplo, o manual “Brasil, uma História em Construção”, de José R. Macedo e Mariley Oliveira, com a seguinte observação:

      “É excelente, p. ex.,o texto que se encontra à página 9, onde se afirma que “não existe apenas uma verdade única na História…toda verdade no fundo é relativa,…Nem sempre o que é verdade para nós será o mesmo para pessoa diferente de nós.”

      Temos aqui exemplificado um explicito relativismo, ou negação da ciência e da ética, num manual de história paraadolescentes 1.

  4. Carlos

    Agora me diga quantos filmes ou jogos onde os inimigos são nazistas são morto ou tratados como vilões e não vejo ninguém reclamar disso não que eu esteja incentivando a ninguém a matar algum comunista por ai antes que algum idiota entenda errado o que eu quero dizer, o ponto é que cada um tem a liberdade artista de criticar ou ser contra qualquer ideologia se voçe não gosta não jogue ora bolas só porque o game coloca os inimigos como comunistas não vejo problema nenhum com isso afinal tem tantos filmes por ai que criticam a direita e o capitalismo como o filme God Bless America quê totalmente por esquerdismo eu poderia dizer que esse filme esta incentivando a matança de pessoas inocente não é?

    1. Gustavo de Paula

      Vou dar apenas uma resposta para amos, Carlos e Junior, visto que possuem linha de pensamento e argumentação semelhante, ok?

      Em primeiro lugar, muito obrigado pelos comentários, eles são muito importantes para estimular o debate, maior proposta deste blog. Segundo, espero que todos sintam-se livres para discordar de minhas ideias, visto que estamos em um blog de opiniões.

      Mas falando a respeito do conteúdo, recomendo que façam outras leituras. Não sei em que estão se baseando para falar que os livros didáticos são esquerdistas/marxistas. Creio que se fosse assim veríamos mais pessoas com essa linha de pensamento, porém não é o que encontramos por aí, basta ver a quantidade de eleitos que possuem pensamento de direita ou extrema direita.

      Não disse em momento algum que existe regime perfeito, apenas disse que a mídia coloca o lado vermelho como inimigo e perigo constantes. Para alguns a guerra fria ainda não terminou. Se conferir no próprio blog, neste link https://gamecriticas.wordpress.com/2014/10/20/nem-direita-nem-esquerda-muito-pelo-contrario/ poderá ver que existem jogos mais complexos nessa linha.

      Dizer que o comunismo matou 100 milhões de pessoas é um argumento muito vago, sobretudo se compararmos com o fato de que 2 milhões de pessoas morrem de fome diariamente no regime capitalista. Até no site do Terra tem isso http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI708867-EI294,00-ONU+mais+de+dois+milhoes+de+pessoas+morrem+de+fome+a+cada+dia.html

      E por último, falar sobre diferentes verdades não é negar a ciência. Se não houvesse discordâncias de pensamento etc nós estaríamos achando até hoje que a Terra é o centro do universo, que viemos de Adão e Eva e que as bruxas deveriam ser queimadas na fogueira.

      Mais uma vez obrigado pelos comentários.

      1. Luiz

        É claro afinal hoje em dia ainda graças ao capitalismo existe a internet para se informar melhor e ver o outro lado da historia que as escolas não mostram porque estão ocupadas fazendo lavagem cerebral nos alunos.

      2. Dwarfplayer

        Apesar de não concordar com os 2 milhões de mortos ao dia devo dizer que suas argumentações são compreensivas e que sua educação é de dar inveja na internet atual

      3. Gustavo de Paula

        Então Dwarf, essa questão dos “dois milhões” é um argumento bobo mesmo, não é que eu concorde com ele não. Foi só uma provocação, pois se morreram 100 milhões enquanto o regime era comunista, o que poderíamos dizer das mortes atuais no sistema capitalista, igualmente (ou mais) violento, tanto fisicamente, quanto simbolicamente.

        Engraçado notar o quanto os posts que falam sobre política atraem muito mais atenção e, consequentemente, a ira de muitas pessoas

  5. Luiz

    Porra nenhuma comunista e esquerdista são tudo uns safados e é muito bom jogar Call of Duty e matar comunistas, os estados unidos podiam mandar uns soldados lá para cuba para matar o Fidel Castro. O Carlos tem razão quem se declarasse comunista ou esquerdista deveria ter o mesmo tratamento que um nazista, eu desatesto esquerdistas e comunistas assim como feministas e o pessoal dos direitos do bandidos que defendem mais os bandidos do que os homens de bem se alguém disser que é um simpatizante dessa ideologias já ganha a minha antipatia na hora e meu ódio.

    1. Gustavo de Paula

      Bom, tenho muita pena de quem sente ódio desse jeito, mesmo porque contra ódio não há argumentos. Recomendo que vá a alguma terapia para tentar tratar disso, pois não faz nada bem.

      Além disso, aproveite a internet que, segundo você o capitalismo criou, e confira pra saber que o Fidel já morreu tem um bom tempo.

      Sem mais

  6. Pingback: Água com açucar ou sem sal, falta tempero quando falamos de jogos | Game & Críticas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s