Exclusivo: Empresa lança game que coloca jogador na pele de caçador de artes polêmicas!

Já era de se esperar. Como todo esse furor no Brasil em torno das bizarras proibições e encerramentos de exposições e espetáculos, haveria de ser produzido um Newsgame a respeito. A Ironic Games, famosa por jogos como Democracy GO ou Political Figth, avança agora com The ArtBusters.

Obra censurada
Obra da mineira Alessandra Cunha, intitulada “Pedofilia” – Missão inicial

A mecânica é semelhante a vários outros jogos de estratégia em tempo real, ou seja, você precisa coletar recursos, produzir exércitos e ir pra cima do inimigo com todas as forças que puder. No caso, os “peões” que coletam os recursos são jovens liberais conservadores e você precisa ficar enviando-os a Brasília para conseguirem dinheiro. O exército básico é composto por pessoas comuns, mas com o tempo é possível desbloquear heróis mais poderosos.

As missões costumam ser bem objetivas, por exemplo: Coletar obra de arte exposta em museu X. Acumula-se dinheiro, consttói-se o exército e assim que ele tiver força o suficiente para ultrapassar os portões de entrada da fortaleza, digo, museu, torna-se possível construir a unidade polícia, que é capaz de fazer a caputra da obra e finalizar a fase.

Dentre os heróis desbloqueáveis no jogo, ou mediante compra separada através de propinas e/ou favores, estão alguns políticos e líderes religiosos, por exemplo, cada qual com seus poderes especiais. Os líderes religiosos contam com a capacidade de converter unidades inimigas, bem como aceleram a criação de exércitos. Já os políticos tem habildiade de blindagem especial, o que torna quase impossível perder alguma unidade ou polícia durante os combates.

Flanders-and-the-b_3259040k

Por vezes, se o jogador demora demais para coletar recursos, ou avançar com sua tropa, pode acontecer do inimigo acabar ganhando força, através da armada colorida. Nesses casos o jogo acaba se arrastando um pouco, pois a necessidade de recursos aumenta muito, visto que são necessários muitos policiais para completar a missão.

Há três níveis de dificuldade e eles se dividem de forma bem básica e bem humorada, pois se dá de acordo com o alinhamento do presidente a ser escolhido antes do início do jogo: esquerda, centro ou direita. Caso o jogador acredite que o jogo esteja muito difícil, basta alterar o nível, mas para isso é necessário aplicar uma trapaça (cheat), que acelera a troca do presidente.

Conforme o jogo avança é possível baixar missões mais variadas e ao redor do mundo todo, uma boa forma de conehcer obras de outros museus mais distantes. Não há notícias de nenhum jogador que já tenha terminado o game, mas há rumores que um jogador chinês, chamado Kim, está próximo disso, até mesmo por ser visto online constantemente nos servidores do jogo. Aqui no Game&Criticas tivemos acesso à sequência final do jogo e contaremos agora. Atenção, alerta de spoiler:

Nas missões finais o jogador precisa desesperadamente caçar qualquer obra que contenha cor de rosa, arco íris, pênis, vagina, anus ou seio exposto, palavras com significado ambíguo, referência a algo que não pertença a família tradicional, entre outras coisas semelhantes. O ritmo é frenético, então não pense que será fácil. Ao completar a derradeira missão, que consiste basicamente em capturar caixas de lápis de cor, surge a mensagem de “Parabéns, você venceu. Mas perdeu ao mesmo tempo, agora você vive num mundo sem arte e sem livre expressão” escrita em preto, num fundo branco.

wall-761539_960_720

Veremos se o jogo fará sucesso ou se será apenas mais uma modinha passageira.

Este é um texto de ficção, escrito baseado na mais pura indignação com a onda de censuras que vem ocorrendo no campo artístico em nosso país.


Gustavo Nogueira de Paula

Anúncios

Orgulho por tabela

As vezes assistimos na TV algumas histórias emocionantes de superação, como por exemplo no Esporte. O rapaz pobre que corria descalço por canaviais e depois ganha uma corrida de rua. Menino com problema na prótese que termina a corrida num pé só. Mulher com 17 irmãos que vira profissional no judô depois de muitos anos etc. Não há muita explicação nisso, mas ficamos com aquela pontinha de orgulho pela conquista daquela pessoa batalhadora. Isso acontece em situações mais próximas a nós também, como quando um amigo conclui sua graduação, um parente se casa, ou qualquer outra situação cotidiana semelhante. Ficamos felizes e espalhamos essas notícias, bem como essa felicidade. Essa semana foi assim, com o lançamento do Porcunipine no Steam.

Porcunipine

Produzido pelo pessoal da Big Green Pillow, de Bauru e participante desde o primeiro Glitch. A galera é muito gente boa, jovens criativos e com o desejo de fazer bons jogos, de forma original e sem dever nada para nenhuma grande produtora. Com muita humildade estão conquistando seu espaço e creio até que acabem não ficando muito mais tempo no Brasil. Bom pra eles devido a crescimento da carreira, “ruim” para nós que cedo ou tarde pode acabar perdendo esses talentos.

Porcunipine é um Party Game, daqueles feitos para serem jogados junto com os amigos, de maneira descontraída, para dar risada e se divertir com bastante gente. Se conseguir um Porcunipine na tela da sua TV da sala durante um jantar com convidados, pode apostar, será tudo muito mais engraçado. O cenário é simples: São quatro Porcos espinhos carecas (coitados), com um espinho só. O objetivo não poderia ser mais óbvio, senão o de atirar nos colegas em pequenas arenas, num curto espaço de tempo. Acertou mais ganhou. Só cuidado para não se matar, algo que não é nada difícil.

Porcunipine 2

O jogo vem ganhando mídia, sendo destaque em vários blogs e vídeos do Youtube mundo afora. Não sou tão famoso quanto esses sites/youtubers, mas por outro lado eu tive a oportunidade de jogar diretamente com quem fez o jogo, inclusive durante a fase de acertos, ajustes, testes etc. Independente da mídia, Porcunipine é um jogo e tanto e vale a pena ser conferido, principalmente por ter sido feito aqui no interior do nosso Brasil, na grande/pequena Bauru.

Da muito orgulho ter visto de perto a evolução do jogo, as diferentes versões, os testes feitos com crianças e jovens no Sesc Bauru e agora poder ver à venda pelo Steam, tendo a chance de obter ainda mais destaque. Além de orgulho, nos enche de esperança de cada vez mais vermos produções nacionais, independentes, ganharem o cenário mundial.

Gostaria ainda de lembrar aos jogadores que não é a opinião de um Youtuber Americano ou Europeu que faz um jogo bom ou não, que faz um  jogo valer a pena ou não. Precisamos dar mais crédito a nossas produções e TAMBÉM a nossas opiniões. Muita gente ainda é refém de Venom’s e Monark’s da vida para lhes dizer o que é legal ou não. Assim como temos games independentes nós temos mídia independente, fiquem de olho.

No mais, jogue Porcunipine. Tenho certeza que vai adorar e se ainda tem alguma dúvida do potencial nacional, aposto que irá mudar sua opinião depois dessa experiência.


Gustavo Nogueira de Paula

Quanto vale uma nota 10?

Se você é estudante, vai a escola todos os dias, não arruma encrenca com os professores/professoras, faz suas tarefas direitinho e estuda para as provas, então provavelmente você é um estudante nota 10.

Mas e se ao invés de estudante você toca na bateria da Mangueira, vai a todos os ensaios, pratica em casa, se aprofunda em música e é uma pessoa disciplinada, há uma boa chance de sua escola receber nota 10 nesse quesito.

Ou então se você for jogador de futebol, treinar forte, acertar todos os passes, ajudar na marcação, não levar cartões, correr o jogo todo e ainda marcar o gol decisivo para o seu time no campeonato talvez você receba nota 10 dos jornalistas corneteiros de plantão.

E se ao invés disso você for uma dessas mulheres que concorrem em concursos de beleza bizarros, como nova participante do Big Brother ou nova “assistente de palco” do Pânico. Vai malhar muito, se alimentar bem, utilizar alguns anabólicos, um pouco de silicone, conhecer as pessoas certas e o 10 pode, quem sabe, cair no seu colo.

Ok, mas e se você for um jogo de videogame, do que vai precisar? Uma boa história, gráficos bonitos, boa jogabilidade, variedade, inovação, profundidade, diversão e talvez mais algum  outro aspecto mais ou menos técnico. Isso garante a tão falada nota 10? Pode ser que sim, mas nesse meio (assim como em vários outros) a nota 10 pode vir de diversas formas e de diferentes maneiras.

Esse assunto voltou a despertar minha atenção pelo seguinte motivo: Nessa terça feira dia 26 ocorre o lançamento mundial de Bioshock Infinite, terceiro da série que já vendeu mais de 5 milhões de cópias e que eu mesmo já elogiei muito por aqui. Acontece que mesmo antes do lançamento do jogo já existem dezenas, isso mesmo dezenas, de análises sobre ele e a maioria com notas 10.

É bastante comum que as produtoras liberem cópias antecipadas para os meios especializados (o qual ainda não faço parte, uma pena), mas revelar notas na véspera do lançamento é algo no mínimo desagradavel para mim. São avaliações que chegam a ser feitas com poucas horas de jogo e escritas as pressas em vários casos. No metacritic já constam 35 análises, isso apenas para Pc.

Não estou aqui a duvidar da capacidade do jogo, nem de seu potencial e quem quiser pode conferir nas minhas previsões para 2013, que escrevi ainda em 2012. Mas o fato a ser debatido aqui é a importância da nota. Bioshock Infinite esteve em produção durante 4 anos e contou com um orçamento de 100 milhões de dólares, considerado alto até mesmo para franquias como GTA ou Call of Duty, isso sem contar o marketing, que deve atingir cifra semelhante.

bioshock-infinite

Agora imagine um cenário em que um jogo caro e importante como esse recebesse notas baixas antes mesmo do seu lançamento. Muito pouco provável, a menos que o crítico fosse alguém independente como eu, pois a grande mídia não “pode” bater de frente numa situação como essa.

O que cabe a nós é aguardar o lançamento do jogo e conferir se as notas batem com a realidade, sendo sérios e não apenas passionais. O hype que tem sido criado em torno desses grandes lançamentos tem me assustado um pouco e também me preocupado. O que se vende logo na primeira semana é o que garante o lucro da produtora, então nada mais fundamental do que criar um mito antes mesmo do jogo chegar as prateleiras das lojas.

Vamos esperar para ver.

Gustavo Nogueira de Paula

2013 previsões

Passada a ceia de natal e o pequeno recesso forçado que tive, venho para o último post de 2012. Aproveitando a onda que se espalha em todas as esferas, vou apresentar as minhas previsões para 2013 no mundo dos games. Mais do que qualquer coisa séria ou científica esse é um momento de descontração de dar palpites, arriscar sobre o que vai acontecer no ano que chega. Todas as opiniões são baseadas em vídeos, experiência própria, mercado etc.

Ao que tudo indica 2013 será um ano movimentado, contrário do que foi 2012 um ano atipicamente frio no que se refere a games e seus arredores. As promessas de grandes lançamentos tem mexido com a cabeça das pessoas, que aguardam ansiosas para ver o resultado das continuações de franquias consagradas a darem as caras novamente no ano que vem. Vamos a algumas delas:

1 – GTA V

GTA V promete muito
GTA V promete muito

Já cravo aqui: GTA V será considerado o jogo do ano em 2013. Obviamente eu posso me enganar, mas duvido bastante. GTA é um jogo popular entre jogadores e críticos, o último da série foi extremamente elogiado e ao que tudo indica o pessoal da Rockstar não perdeu o jeito de fazer jogos. Sem contar que Red Dead redemption também faturou prêmios no ano de seu lançamento, ou seja, esse é o candidato mais forte para o ano que vem. Se você quer apostar com algum amigo seu, vá de GTA, pois seria o mais seguro palpite.

2 – Tomb Raider

Lara Croft estará de volta em mais um Tomb Raider
Lara Croft estará de volta em mais um Tomb Raider

Aqui já me preparo para receber minhas maiores críticas. Tomb Raider parece ser um jogo belíssimo, gráficos excelentes que dão muita vida a musa Lara croft. Musa que aliás nunca foi tão “humana” pois parece que os produtores do jogo eram sádicos que queriam ver a garota sofrer, pois nos trailers da pra ve-la sangrando, suja, cansada e berrando de dor. Isso tudo é bem interessante e faz com que nos aproximemos da protagonista. Porém, no pouco que vi do gameplay, parece que Uncharted deixou um legado “maldito”. Drake roubou o lugar no coração de muitos fãs dos jogos de ação, que antes pertencia a Lara Croft e para reaver esse posto eu percebi significativas semelhanças com a jogabilidade de Uncharted. Espero muito estar enganado e que a história do jogo me convença do contrário, pois tenho bastante receio de que a sombra de Drake tenha afetado a bela Lara e seu mais novo jogo.

3 – Last of Us

Last of us chegará exclusivo para Ps3
Last of us chegará exclusivo para Ps3

Mais um apocalipse zumbi, esse aos moldes de “Eu sou a lenda”. Dos mesmos produtores de Uncharted, Last of Us é outo jogo que chega com gráficos muito bem trabalhados e um enredo que, a princípio, já é conhecido por todo gamer. As semelhanças com Uncharted são óbvias e isso também me preocupa em certos aspectos, mas os personagens do jogo parecem ter grande carisma e personalidade. Estou bastante curioso com esse jogo e acredito que levará a estatueta de melhor jogo de Ps3 em 2013. Particularmente eu quero muito poder jogá-lo, pois esse será um apocalipse zumbi diferente de Left 4 dead ou resident evil. Só espero que não façam um jogo parecido demais com Uncharted e que explorem bem esse enredo tão “clássico”.

4 – Bioshock Infinite

Saindo das aguas de rapture e voando para Columbnie, a nova cidade utopia de Bioshock
Saindo das aguas de rapture e voando para Columbine, a nova cidade utopia de Bioshock

Bioshock infinte vem enfrentando problemas em sua produção, com trocas de pessoas importantes no time desenvolvedor. O jogo já foi adiado duas vezes e ao que parece existem várias discussões internas sendo realizadas a respeito da  sua jogabilidade. Mas anotem, esse jogo vai ser grandioso. Ao que tudo indica os produtores querem inovar alguma coisa na jogabilidade de um estilo que quase não muda, os FPS. A história de Infinite me atraiu logo de início e essa imagem acima resume bem isso. O tom político e maduro presente nos dois primeiros jogos da série parece ser ainda mais forte agora. “Correndo por fora” Bioshock infinite vai surpreender positivamente muitos jogadores despreparados. Anotem e me cobrem depois, esse será um jogo incrível.

E são vários outros jogos a serem lançados também em 2013. Não comentarei todos, pelo menos não agora, mas farei uma menção aqui. Não quero dizer que esses dos quais eu não comentei tenham menor importância, pois não é isso. Acontece que dei destaque aqueles que considerei os que tenho mais propriedade para falar e curiosidade para conhecer. Além disso esse post teria quilométrico se fosse falar de todos os bons lançamentos do ano que vem. São eles:

Devil may Cry; Dead Space 3; Crysis 3; God of War Ascension; Starcraft II Heart of the swarm; Metal Gear risgin: revengeance; Castlevania lord of shadows 2; Beyond two souls. Esqueci de algum?

E aí, já preparou os bolsos? A lista de jogos interessantes é grande e é bom se preparar. Eu já prevejo uma calamidade financeira, mas já adianto que minhas análises sempre sofrerão um delay, pois é bem pouco provável de eu conseguir jogar esses jogos logo em seguida de seus lançamentos. É uma pena, mas todos sabemos como os jogos são caros no Brasil e não é toda hora que conseguimos traze-los de fora.

Ainda nesse último post de 2012 eu gostaria imensamente de agradecer a colaboração de todos. Já ultrapassamos por muito a marca das 8 mil visitas e o gamecriticas não para de crescer. Para o ano que vem o blog deve passar por uma repaginada, impulsionado pelas visitas e pelos comentários que recebo. Também prometo as análises dos seguintes jogos: Journey, Batman Arkhan city, Deus Ex human revolution, Uncharted 3, Shadow of colossus e ICO, pois terei acesso a eles em breve.

Muito obrigado a todos e que em 2013 possamos jogar ainda mais!

Até,

Gustavo Nogueira de Paula

News

Esse é um pequeno post que trata de duas notícias bem rápidas.

A primeira delas não é exatamente uma notícia, mas sim uma lista criada e divulgada pela IGN (International Games Network) em que eles trazem os 50 melhores mundos dos games (ambientação, história, imersão etc). Por se tratar de uma lista, sempre alguem fica de fora e muitas reclamações costumam surgir a partir disso. Nesse caso, acho que a lista está muito bem feita e o primeiro lugar foi dado a Half Life e seus desdobramentos, como Half Life 2 e Portal. Nem preciso dizer o quanto concordo com isso, pois para mim jogar HL 2 e Portal são experiências únicas e que sempre recomendo por aqui. A diferença é que dessa vez não sou eu quem está dizendo. Para ver a lista basta clicar aqui..

A outra notícia se refere ao lançamento de Diablo III. Acontece que a Blizzard optou por exigir conexão permanete para jogar  Diablo III, até mesmo no modo single player, o que acho um saco, pois voce não pode jogar em qualquer lugar e a qualquer momento, pois depende de sua conexão com a internet e da estabilidade dos servidores da Blizzard. Como era de se esperar, a meia noite quando o jogo foi oficialmente lançado, uma enxurrada de jogadores se matou para conseguir estabelecer uma conexão com os servidores, o que ocasionou problemas de conectividade par todo lado. Era um tal de “erro 37” pra lá e pra cá que frustrou muita gente. Segundo informações, hoje pela manhã aparentemente tudo já tinha voltado ao normal. Não vejo com bons olhos isso de ficar conectado o tempo todo, mas para jogar Diablo será assim. Quem quiser pode ver uma boa matéria a respeito do ocorrido no site da kotaku Brasil. Parece que teremos que vender a alma à  Blizzard para que tenhamos o Diablo no pc… que coisa esquisita.

Por hoje é só isso, curto e rápido. Em breve mais notícias e uma análise mais profunda de Skyrim.

Até!

Ele está chegando

Hello my friend, stay a while and listen.

Se você conhece essa frase, então sabe de qual jogo vou falar aqui!

Não sou de ficar propagandeando nada, nem de fazer muito barulho por causa de jogo que ainda nem saiu, mas esse eu não poderia deixar de falar. Acabo de ver que foi anunciada a data de lançamento de Diablo 3!

Exatamente, em 15 de maio desse ano de 2012 será lançado esse tão aguardado jogo. Bem, pelo menos por mim ele é muito aguardado e há motivos bastante simples para isso e já começo a listá-los aqui.

Primeiro, trata-se de uma série de muito sucesso, que conta com dois jogos excelentes e expansões igualmente boas. Diablo 2 ainda tem uma comunidade fortíssima de jogatina online e conta com atualizações e novas fórmulas de criação de itens, ou seja, mesmo aproximadamente 10 anos após o lançamento do jogo a Blizzard continua tratando-o com respeito.

Segundo, a Blizzar não costuma decepcionar, lançando jogos sempre muito bem trabalhados (e isso explica boa parte dos atrasos e enrolações na divulgação de datas), com poucos bugs, visto que são exaustivamente testados. Pouco tempo atrás, em 2010, foi lançado Starcraft 2, após um longo intervalos em relação ao lançamento do primeiro jogo da série, que era simplesmente fantástico, mas ainda assim eles conseguiram fazer uma sequencia a altura, mesmo sendo dividida em três partes. Se você ainda não jogou, recomendo.

Terceiro, Diablo é um jogo interessante para quem gosta de jogar tanto no modo single player, quanto no modo multi player. Ambos tem a incômoda capacidade de prendê-lo por horas a fio, pois você sempre quer subir só mais um nível, percorrer só mais uma dungeon e assim por diante.

Quarto, Diablo em si costuma ter alguns elementos que nem são tão inovadores, mas são cativantes, pois são bem feitos. As magias, skills, desenho de armas e armaduras, personagens, inimigos (principalmente), trilha sonora e ambiente são bons exemplos disso.

Não vou mais falar sobre isso por enquanto, o que está aqui já é o suficiente. O restante falo depois que o jogo for lançado. Uma pena que, ao que parece, ele será lançado apenas para PC, pelo menos inicialmente. Já prevejo que terei que me endividar para comprar um pc novo apenas para jogar, rs. Será que meu PS3 finalmente terá algum tempo de descanso?

Aproveitem e assistam alguns vídeos que a Blizzard já havia liberado algum tempinho atrás, além de assistir alguns dos jogos antigos, e faça você mesmo suas previsões.

Não esqueça de seguir! Pode ser por email, ou clique lá em baixo em CAMINHA COMIGO.

See ya!